Dezenove torcedores argentinos foram presos no sábado (21) no Mineirão pela Polícia Federal (PF) do país vizinho. Um deles seria um dos mais procurados entre os barra-bravas, parte mais temida da torcida albiceleste, famosa por promover brigas entre times hermanos rivais e os holligans ingleses.

O homem, que não teve a identidade divulgada, integraria a lista de 2.100 torcedores argentinos, com histórico de brigas, proibidos de entrar no Brasil durante a Copa do Mundo. O suspeito foi reconhecido pelos federais por meio das câmeras de monitoramento do estádio.

A abordagem foi feita com o apoio da Polícia Militar, momento em que outros 18 torcedores tentaram impedir a prisão do compatriota. O suposto barra-brava seria deportado sumariamente. A situação dos outros detidos será analisada. Se estiverem ilegais, serão banidos do país.

Até o fechamento desta edição não havia informações sobre como o hermano entrou no Brasil. Para um policial federal brasileiro ouvido pelo Hoje em Dia, e que pediu anonimato, uma das hipóteses é que ele tenha cruzado a pé a fronteira com o Uruguai. De lá, seguido de carro para qualquer parte do país.

O agente reclamou do déficit no número de servidores treinados nas fronteiras e no controle migratório de alguns aeroportos. “No caso de Confins, por exemplo, quem checa os passaportes é funcionário terceirizado, sem treinamento policial”, disse.

O Hoje em Dia tentou contato com a PF em Minas e em Brasília, sem sucesso. O Consulado da Argentina no Brasil informou que não acompanhou a ocorrência e, por isso, não se pronunciou sobre o caso.

Reforço

Com receio de que argentinos e ingleses se encontrem nos próximos dias na capital, o que pode gerar confronto, a PM vai mapear os locais onde os estrangeiros estarão. Apesar de o jogo da seleção azul e branca ter ocorrido no sábado, e com expectativa de que muitos torcedores sigam para Porto Alegre, alguns hermanos ainda podem ficar em BH.

A estratégia ganhou força após a confusão entre brasileiros e argentinos na madrugada de sábado na Praça da Savassi, na Zona Sul da cidade. Após horas de provocações, os torcedores iniciaram uma briga generalizada que terminou com um brasileiro de 23 anos detido e um outro, de 21, ferido.