A Covid-19 levou 45 pessoas à morte no período de 24 horas em Belo Horizonte. A informação consta no boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (19). Com o maior salto de mortes do ano, a capital mineira já soma 2.087 vidas perdidas para a doença desde o início da pandemia, em março.

A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), reservadas para pacientes infectados pelo novo coronavírus, segue em fase crítica e está em avanço nesta terça. Hoje, 84,3% das 585 vagas estão ocupadas em hospitais públicos e privados da cidade. Um aumento de 1,4% em relação ao boletim anterior (que marcava 82,9%). Desde o dia 31 de dezembro de 2021, o índice segue acima dos 80% e em nível de estado de alerta máximo no gráfico dos indicadores de monitoramento da pandemia em BH.

Já os outros dois indicadores de monitoramento da pandemia estão em queda. O boletim desta terça mostra que 65,8% dos leitos de enfermaria aparecem ocupados nas unidades de saúde da capital - na segunda, esse número era de 68,5%. Ao todo, Belo Horizonte tem 1.461 vagas destinadas aos pacientes com Covid.

O número médio de transmissão por infectado (Rt) também segue em queda, caindo de 1,07 para 1,05, o que significa que, em média, 100 pacientes infectados transmitem a doença para outros 105. Na sexta-feira (15) esse índice chegou a atingir 1,09.

Mais de 1.500 novos casos

Em 24 horas, 1.520 novas pessoas confirmaram positivo para Covid-19 em BH. Com isso, a cidade já acumula 78.822 casos da doença.

O boletim epidemiológico também mostra que 70.725 pacientes já se recuperaram e outras 6.010 seguem em acompanhamento.

Leia mais:
Restaurante Vecchio Sogno anuncia encerramento definitivo das atividades em Belo Horizonte
Distanciamento continua fundamental, mesmo com vacinação, diz Opas
Saúde alerta sobre ligações e SMS falsos de cadastro para vacinação