Controlador de peso, contador de calorias, monitorador do sono, um lembrete para beber água ou tomar remédio. Quem poderia imaginar que, um dia, todas essas facilidades estariam acessíveis com apenas um clique? Com a popularização dos aplicativos, cada vez mais pessoas recorrem à tecnologia dos smartphones para manter uma rotina saudável.

As pesquisas comprovam o sucesso dessas ferramentas, que prometem “dar uma mão” a quem deseja cuidar do próprio corpo. Segundo a Flurry Analytics, empresa americana que cria aplicativos, só nos seis primeiros meses deste ano houve um crescimento de 62% nos downloads de softwares sobre saúde e condicionamento físico.

Para o estudante Pedro Mol, de 21 anos, há muito tempo o celular deixou de ser mero meio de comunicação. Seguindo as dicas do aplicativo “Fitness Trainer” por quatro meses, ele aprendeu novos exercícios abdominais.

“Além de apresentar o passo a passo de cada série, o aplicativo também dava dicas para que o treinamento fosse feito da forma correta, sem prejudicar a postura”, afirma.

Outro programa testado por Pedro foi o Tecnonutri, espécie de “assistente pessoal” que controla a quantidade de alimento que uma pessoa come, bem como a evolução de perda ou ganho de peso. Como Pedro já seguia uma dieta recomendada por nutrólogo, o software lhe foi útil para que adquirisse um outro hábito saudável: beber água.

“De hora em hora, tocava um despertador para que eu me hidratasse. Foi muito útil para mim”. Após meses de uso, o resultado foi tão positivo que, hoje, Pedro nem precisa do aviso. Beber água de hora em hora virou rotina.

A dentista Natália Caiaffa, de 27 anos, também faz parte da lista de pessoas que se valem da internet para ter uma vida mais saudável. Em 2013, com alguns quilos acima do peso considerado ideal para ela, a jovem passou a se dedicar a exercícios físicos e a manter uma dieta mais regrada. As receitas tiradas do “Chef Fit” serviram de inspiração.

“São centenas de opções de pratos, vários deles sem glúten. Testava alguns em casa e, quando precisava, substituía um ingrediente por outro que já tinha em casa”.

Hoje, experiente no assunto, Natália posta fotos de receitas leves no instagram, onde já tem mais de 13 mil seguidores.


Orientação

Apesar da ampla aceitação dos aplicativos, o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM-MG), Paulo Mendes, alerta: as ferramentas jamais devem substituir a consulta com um especialista.

“Sozinhas, as informações encontradas na internet têm pouca utilidade. Podem até causar efeito contrário, trazendo prejuízos à saúde e ao bem-estar de alguém”, diz.

Uma pessoa sedentária que segue um programa de corrida disponível no celular pode fazer exercícios que estejam além do limite do próprio corpo e, na pior hipótese, sofrer um infarto, exemplifica o médico.

“Mas se a pessoa já buscou orientação de um profissional, o aplicativo tem bastante utilidade se ajudá-la a seguir as recomendações”.
 
 
Runtastic

O aplicativo é indicado para pessoas que gostam de corrida. Com a função GPS do celular ativada, o programa mede a duração de cada treino, assim como a perda de calorias e o ritmo, distância e velocidade dos exercícios. Mais de 10 milhões de pessoas já fizeram o download do software.

Hora do Remédio

O aplicativo permite que cada pessoa controle o horário certo de tomar o medicamento. Além da notificação, a ferramenta também localiza as farmácias mais próximas de onde o usuário estiver.

Monitore seu peso

O usuário deve abastecer o aplicativo de informações, como altura, peso e estrutura corporal. O próprio software calcula quantos quilos a pessoa precisa perder e estipula um prazo razoável para que a meta seja alcançada. Com o passar dos dias, o software salva os resultados alcançados e faz um gráfico que mostra a evolução do peso.

Heart Beat

o aplicativo garante monitoramento do batimento cardíaco. Para isso, a pessoa precisa colocar o dedo indicador sobre a câmera do smartphone, que fará a “leitura” do fluxo de sangue em tempo real.