Uma mulher de 80 anos morreu em decorrência da Covid-19 na quarta-feira (29) em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Esse é o primeiro óbito causado pelo novo coronavírus na cidade, que, a partir desta quinta-feira promove mudanças no isolamento social. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a paciente estava internada no Centro de Cuidados Intensivos para a Covid-19 desde 26 de abril, com histórico de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e pneumopatia.

Conforme o executivo municipal, foram notificados 2.675 casos suspeitos da doença na cidade. Desses, 431 foram descartados pela Vigilância Epidemiológica após a realização de exames. Até o momento, são 15 confirmaçõs da doença e um óbito.

Isolamento social 

A primeira morte de Betim ocorreu em meio à flexibilização do isolamento social na cidade. A medida foi anunciada em decreto, em 22 de abril, e permitia o retorno do funcionamento do comércio. Entretanto, o município publicou novas determinações aumentando o rigor das medidas.

A partir desta quinta-feira (30), os bares deverão permanecer fechados por tempo indeterminado. Já os restaurantes só poderão funcionar de 10h às 21h, mantendo apenas duas pessoas por mesa. 

A partir de segunda-feira (3), igrejas e outros templos religiosos  terão que adotar algumas medidas, como afixar na entrada um cartaz determinando a lotação máxima, que corresponde a uma pessoa a cada três metros quadrados, e oferecer álcool 70%s. Além disso, terão que fazer uma declaração na prefeitura garantindo o cumprimento de todas as determinações.

Os centros de compras, como shoppings centers e galerias, poderão funcionar por, no máximo, 12 horas por dia. Os espaços devem ser fechados até as 21h. O texto deixa claro que somente familiares podem reunir-se em comemorações e confraternizações. Os encontros, no entanto, são limitados a dez pessoas.

A multa por descumprimento varia de R$ 1 mil a R$ 50 mil.

Denúncias de descumprimento de normas podem ser feitas na Ouvidoria do Município, pelos telefones (31) 3512-3453 e (31) 3512-3315.

Leia também:
Igrejas de BH se preparam para retomar cultos; proteção será reforçada, mas médico critica decisão
Mais de 46,2 milhões de pessoas já receberam o auxílio emergencial
Finança comprometida: com Covid, pesquisa mostra que 52% pagarão apenas parte ou nenhuma das contas