Febre, tosse e dificuldade para respirar. Esses são os primeiros sinais do coronavírus, doenças que castiga a China e assusta o mundo. Pessoas que estiveram recentemente no país asiático ou tiveram contato com pacientes suspeitos de terem contraído a enfermidade  devem ficar atentos a esses sintomas.

A recomendação é da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). A capital está em alerta contra a pneumonia atípica. A orientação, para que se encaixa nesses critérios, é procurar imediatamente um serviço de saúde para ser avaliado. O morador usar uma máscara cirúrgica para evitar a  transmissão.

Neste sábado (1), boletim divulgado pelo Ministério da Saúde neste sábado sobre as infecções em investigação ampliou para 16 os casos monitorados. Ao mesmo tempo, como antecipado na véspera pela pasta, a estudante mineira de 22 anos que esteve na China e foi internada no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, não faz mais parte da lista.

Na metrópole, os profissionais da rede SUS-BH já foram orientados a identificar e notificar casos suspeitos, além de iniciar o cuidado assistencial. As equipes do município também estão aptas a executar as medidas de vigilância epidemiológica, com possível isolamento de paciente e busca ativa de pessoas que tiveram contato com ele.

“A capital mineira mantém trabalho de vigilância epidemiológica contínuo, por isso mantém atenção a todos os cuidados diante de qualquer suspeita. Belo Horizonte conta com um plano de contingência que pode ser ativado se necessário, com abertura de serviços e leitos específicos. Os profissionais de saúde já estão sensibilizados para o diagnóstico, assistência e monitoramento”, orienta o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, em comunicado da PBH,

A prevenção para evitar contrair o coronavírus é a mesma já praticada em relação a outras doenças respiratórias: evitar o contato próximo com quem esteja com sintomas respiratórios. Também é necessário lavar as mãos, utilizando água e sabão. Outras dicas são utilizar álcool gel sempre que possível, não tocar olhos, boca e nariz sem higienizar as mãos e nada de compartilhar alimentos e utensílios.

É importante ter cuidado ao tossir ou espirrar para evitar transmitir doenças respiratórias. A pessoa deve cobrir sempre a boca com lenço de papel, nunca com as mãos. Depois, é preciso jogar o lenço no lixo e higienizar novamente as mãos.