Idosos de 64 anos, completos até 30 de abril, começam a ser vacinados contra a Covid-19 nesta sexta-feira (9), em Belo Horizonte. A imunização será realizada entre 7h30 e 16h30 nos centros de saúde da capital mineira e postos fixos. Já o horário de funcionamento dos pontos drive-thru é das 8h às 16h30 (confira os endereços).

Mesmo após afirmar que todo o estoque de vacinas havia esgotado e que suspenderia a imunização de novos públicos, a Prefeitura de BH informou, nessa quinta (8), que a ampliação foi possível após um "esforço excepcional" dos profissionais. Para conseguir vacinar essa faixa etária, estão sendo usados imunizantes de desistentes e que sobraram nos cronogramas anteriores.

Para a vacinação, é preciso que o idoso leve um documento de identidade, CPF e comprovante de residência. Todos devem estar de máscara e respeitar o distanciamento nas unidades. O ideal é que apenas uma pessoa acompanhe quem será vacinado, para evitar aglomerações. Pessoas do público-alvo com mobilidade reduzida ou acamados devem fazer o cadastro no portal da prefeitura para receber a vacina em casa. 

A PBH reforçou, ainda, que as nove Unidades de Atendimento 24h não-Covid, que estão em funcionamento nas sedes de centros de saúde, não aplicam a proteção. Esses espaços são exclusivos para atendimentos aos casos de baixa e média complexidade não respiratórios. Os endereços podem ser conferidos neste link.

Segunda dose para idosos de 75 e 76 anos

Neste sábado (10), idosos com 75 e 76 receberão a segunda dose da vacina na capital mineira. A imunização também será entre 7h30 e 16h30 nos centros de saúde da capital e postos fixos, e das 8h às 16h30 nos pontos de drive-thru. 

Segundo a PBH, a segunda aplicação dos grupos que se vacinaram até a sétima remessa (75 anos) estão garantidas, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Leia mais:
Pesquisa constata reinfecções de Covid-19 com sintomas mais fortes
Polícia vai pedir exames laboratoriais a supostos vacinados por falsa enfermeira em BH
Justiça Federal suspende liminares que permitiam compra de vacinas da Covid-19 sem doação ao SUS