Dezessete casos de bebês microcefalia associadas ao zika vírus estão sendo investigados pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA). Conforme levantamento divulgado nesta quinta-feira (25), nenhum caso relacionado a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti foi confirmado.

Os recém-nascidos que apresentam a má-formação estão sendo submetidos a testes na Fundação Ezequiel Dias (Funed), na capital, e na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, que vão apontar as causas da deformidade.

O balanço da Secretaria de Saúde revela que dos casos notificados, seis são de residentes de BH e onze de outros municípios.

microcefalia