Moradores de dois bairros de Belo Horizonte passam por um simulado no próximo sábado em preparação para o caso de rompimento da barragem Forquilha I, da mineradora Vale, em Ouro Preto, na região Central do Estado. Em caso de ruptura, a onda de rejeitos pode atingir parte dos moradores nos bairros Beija-Flor, na região Nordeste, e Maria Tereza, na região Norte. A mineradora informou que esses bairros estão na chamada zona de segurança secundária (ZSS) do Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM) e como a capital fica a 120 quilômetros da barragem Forquilha I, o rejeito levaria 11h24 para atingir a comunidade de Beija Flor. No caso da comunidade de Maria Tereza, o tempo estimado é de 13h17.

Segundo a Defesa Civil de BH, o material atingiria o Córrego do Onça e, com o aumento de volume, a água invadiria 248 residências. Como forma preventiva, como classificou o órgão, cerca de 800 moradores dos dois bairros vão passar no próximo sábado (25) por uma simulação de evacuação em caso de rompimento de barragem. 

O treinamento está previsto para acontecer às 16 horas. Além de explicar sobre as rotas de fuga, a Defesa Civil, junto com a Vale, fará a instalação de sirenes para alertar a população. Nesta quinta, agentes municipais visitaram 123 imóveis no bairro Maria Tereza. Na sexta-feira (26), eles vão bater nas portas de 125 casas para convidar os moradores para participar do treinamento.

Apesar do medo, a Defesa Civil de BH tenta tranquilizar a população e afirma que a ação tem caráter preventivo e vai orientar a população sobre como proceder em caso de uma situação de emergência. "A comunidade já está mapeada e foi orientada. O treinamento obedece aos protocolos de segurança. Quem não foi avisado, não precisa se preocupar", informou a Defesa Civil por meio da assessoria de Comunicação. Além disso, o órgão reforça que "já vem desenvolvendo com a comunidade que pode ser afetada várias abordagens nas residências e em reuniões comunitárias e o cadastramento de todos os moradores das áreas que podem ser atingidas mancha".  

O ponto de encontro para os moradores do bairro Maria Tereza é a Igreja Pentecostal Kairós. Já  os moradores do bairro Beija Flor devem se dirigir para a Igreja Pentecostal Deus é Refúgio. 

O nível da barragem Forquilha foi elevado para o nível 3, que representa o alerta máximo e risco iminente de ruptura, no dia 28 de março. Além dela, a Forquilha III, também em Ouro Preto, corre o risco de se romper. Mas a Vale reforça que a ação tem caráter preventivo para orientar as pessoas dessas comunidades sobre como proceder em caso de uma situação de rompimento da barragem. 

"Como Belo Horizonte está a 120 quilômetros da barragem Forquilha I, o rejeito levaria 11h24 para atingir a comunidade Beija Flor. No caso da comunidade Maria Tereza, o tempo estimado é de 13h17", informou a mineradora.

Clique para ampliar

 

ponto2

Clique para ampliar