Belo Horizonte já registra 605 mortes confirmadas por causa da Covid-19, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta terça-feira (4). Outros 42 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) ainda são investigados para a doença.

De acordo com o documento, 97,9% dos óbitos na capital mineira por causa do novo coronavírus tinham a presença de pelo menos um fator de risco ou comorbidade. Isso quer dizer que ao menos 12 pessoas que perderam a vida para a doença na cidade tinham idade inferior a 60 anos e não tinham nenhuma doença crônica, como diabetes, cardiopatia, obesidade ou pneumopatia.

Das 605 mortes, 14 se referem a pacientes com idade entre 20 e 39 anos, mostrando que os jovens também podem ser vitimados pelo novo coronavírus. O boletim não mostra quantas pessoas desse grupo tinham alguma comorbidade. As principais vítimas são os idosos: 81% dos registros. 

O documento revela ainda que, embora a maior parte dos casos seja registrada entre o público feminino, especialmente entre os indivíduos com mais de 20 anos de idade, a mortalidade é maior entre os homens. Eles representam 54,71% dos óbitos por Covid na capital mineira.

Leitos

Em relação à ocupação dos leitos de UTI dedicados a pacientes com novo coronavírus, a situação ainda é grave. Das 424 unidades de terapia intensiva da rede pública reservadas para o tratamento de pessoas com Covid, 84,4% estão ocupados. Entre os leitos de enfermaria, a ocupação é de 63,3%.

O boletim indica também que Belo Horizonte tem 22.411 casos confirmados de Covid-19, sendo que 3.295 deles são referentes a pacientes ainda em acompanhamento (internação e isolamento domiciliar).

Leia mais:
Leitos para Covid-19 em hospitais privados passam a compor monitoramento da prefeitura em BH
Brasil registra 1.154 mortes e mais de 51 mil novos casos de Covid nas últimas 24h