O BH Resolve, central de atendimento da prefeitura, vai reabrir para o público a partir da próxima segunda-feira (28). Desde março, por causa da pandemia, os atendimentos presenciais estão suspensos. A solicitação de serviços só tem ocorrido de forma on-line.

No entanto, com a flexibilização do isolamento social na capital, o secretário de municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Abreu Reis, determinou a reabertura da unidade. Para evitar aglomeração e risco de contágio do novo coronavírus, somente serão atendidos os moradores que agendarem horário neste site

Além do agendamento, uso obrigatório da máscara e higienização das mãos com álcool para entrar no BH Resolve, outras medidas de segurança também serão adotadas. De acordo com a prefeitura, a capacidade de atendimento será reduzida e, nesta primeira etapa, apenas os serviços que não podem ser atendidos pelos canais digitais serão oferecidos.

Regras

Conforme portaria publicada no Diário Oficial do Município (DOM), nesta terça-feira (22), apenas a entrada da rua dos Caetés, número 342, no Centro, será liberada para entrada e saída dos cidadãos. O acesso só será permitido 15 minutos antes do horário de agendamento. "Nos casos de atendimentos agendados entre 8h e 8h15min, o acesso será permitido somente às 8h", destacou a prefeitura.

Além disso, o executivo vai barrar a entrada de acompanhantes. "Na hipótese de agendamento para mais de um serviço, o cidadão poderá permanecer no BH Resolve se o intervalo de tempo entre os agendamentos for de no máximo trinta minutos", detalhou o texto.

A prefeitura garantiu que vai intensificar a limpeza do espaço e adotar outras medidas, como o distanciamento dentro da agência, para impedir o contágio do vírus. "Sempre que possível, o cidadão deverá ser orientado a buscar os serviços digitais por meio do Portal de Serviços da PBH – servicos.pbh.gov.br – ou pelo aplicativo para celular PBH App", destacou o executivo.

Leia mais:
Mortes em alta: óbitos por síndrome respiratória aguda sem relação com Covid-19 sobem quase 800%
Estudo brasileiro aponta que Covid-19 pode causar danos cerebrais
Após manobra, Justiça volta a proibir retorno às aulas e Colégio Militar suspende ensino presencial