Sete pacientes em estado grave de Covid-19 foram transferidos de Coromandel, no Alto Paranaíba – que enfrenta um colapso no sistema de saúde – para Belo Horizonte, entre a tarde a noite desta sexta-feira (19). Foi necessária a montagem de uma força tarefa de profissionais de saúde e forças de segurança para o transportes dos doentes.

Cinco deles chegaram à capital mineira, à tarde, transportados no avião Pégasus, da Polícia Militar de Minas Gerais. Os outros dois pacientes, trazidos à noite, vieram no helicóptero Arcanjo 07, do Corpo de Bombeiros. Todos os doentes foram conduzidos ao Hospital Eduardo de Menezes, na região do Barreiro, referência no tratamento da Covid-19.

Pacientes com Covid vindos de Coromandel para BH

Profissional de saúde ampara paciente com Covid-19 dentro de aeronave, ao ser transferido para a capital

Uma força tarefa se empenhou hoje (19) em trazer para BH 7 vítimas de COVID que estão em estad grave. Durante a tarde, 5 delas chegaram no avião Pégasus e, agora a noite, outras 2 pousaram no aeroporta da Pampulha trazidas pelo Arcajo 07. Todas elas foram conduzidas para o Hospial Eduardo de Meneses na região do Barreiro.

“No auge da pandemia, em maio do ano passado, eram usados em Coromandel de quatro a cinco cilindros todos os dias. Da semana passada para cá, precisamos de 54 todos os dias”, informou o prefeito

Ao longo desta semana, municípios mineiros como Divinópolis, Pará de Minas e Formiga, no Oeste do Estado, abriram as portas de suas unidades de saúde para tratar pacientes com Covid-19 de Coromandel.

Há poucos dias, o prefeito de Coromandel, Paulo Paulo Rocha (PSD) fez um apelo desesperado nas redes sociais pedindo ajuda para os pacientes contaminados pelo novo coronavírus na cidade. Ele reclamou principalmente da falta de cilindros de oxigênio.

“No auge da pandemia, em maio do ano passado, eram usados em Coromandel de quatro a cinco cilindros todos os dias. Da semana passada para cá, precisamos de 54 todos os dias”, informou o prefeito.

Leia mais:

Pesquisa comprova suspensão do coronavírus no ar em ambientes fechados e importância da ventilação

Volta às aulas presenciais será com no máximo 12 alunos por sala em BH

Imunidade pós-vacina pode demorar semanas, dizem especialistas