Os casos de dengue em Belo Horizonte tiveram um aumento de 24% em um intervalo de uma semana. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), as confirmações da doença saltaram de 26.100 para 32.500 entre a sexta-feira da semana passada até esta sexta (7). Além dos casos que já foram comprovados, outros 54.113 notificados aguardam resultados clínicos para confirmar ou descartar a doença.

Neste período de sete dias, também cresceu o número de mortos. A capital registrou mais um óbito pela enfermidade transmitida pelo Aedes aegypti e, agora, BH contabiliza 12 vítimas. Em nota, a SMSA informou que "oito dos doze óbitos ocorreram em pacientes que já tinham outras doenças que contribuíram para complicações".

Até o momento, o mês mais crítico foi o de abril, quando 14.468 pessoas foram infectadas. Maio vem na sequência, com 8.703 casos confirmados, e depois março, com 7.450. Barreiro é a região com mais registros. De acordo com o levantamento da SMSA, a área confirmou 10.610 casos de dengue.

Chikungunya e zika

Em 2019, foram confirmados 45 casos de chikungunya, sendo que 12 foram contraídos dentro da cidade e dez importados. Outros 23 ainda estão pendentes e com origem indefinida. Há, ainda, 141 casos em investigação para a doença. Com relação à zika, também transmitida pelo mosquito, um caso foi confirmado e 106 permanecem em investigação.

Leia mais:
Casos de dengue crescem 432% no país; chuva e atraso do frio prolongam surto
Calor e descuido com focos do Aedes ajudam a manter em alta casos de dengue
Sobe para 65 o número de mortes por dengue em Minas