Assim como aconteceu em São Paulo, onde torcidas organizadas de clubes da capital participaram de manifestação a favor da democracia e contra o presidente Jair Bolsonaro, Belo Horizonte também recebeu na manhã deste domingo (31) atos com o mesmo viés político de grupos de torcedores, como a Resistência Alvinegra, Resistência Americana Antifascista, Resistência Azul Popular e Flamengo Antifa. Também participaram movimentos populares e representantes de partidos políticos.

A concentração do protesto contra o presidente aconteceu na Praça da Bandeira, na região Centro-Sul da capital mineira, e os manifestantes - vestidos de preto - percorreram ruas do Centro de BH, aos gritos de "Doutor, eu não me engano, Bolsonaro é miliciano!" e faixas de "Fora Bolsonaro!". Participantes reclamaram da ação da Polícia Militar, que teria apreendido faixas e pedido para se retirarem do local, para evitar o encontro com uma carreata a favor do chefe do poder Executivo.

Já o grupo a favor de Bolsonaro usou um carro de som e exibiu faixas contra o Supremo Tribunal Federal e o Congresso. Também não faltaram palavras de ordem contra o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. A concentração deste grupo se deu na Praça da Liberdade. A reclamação dos bolsonaristas foi de que tiveram que encurtar de oito para dois quilômetros a manifestação deles devido ao outro grupo de manifestantes.