Belo Horizonte reforçou a fiscalização para conter o avanço da Covid-19. Festas com aglomeração de pessoas estão proibidas e estabelecimentos devem seguir uma série de regras para prevenir o contágio da doença. Porém, o desrespeito tem sido frequente, principalmente nas últimas semanas.

Nos últimos 33 dias, a Subsecretaria de Fiscalização recebeu 154 denúncias de festas e comércios que ignoravam os decretos municipais da PBH. Desde 28 de novembro, foram realizadas 1.253 vistorias, com 78 interdições de estabelecimentos e 14 multas aplicadas.

O alerta é ainda maior para essa quinta-feira (31), com a possibilidade de festas clandestinas para celebrar o Réveillon.

Nessa quarta (30), o prefeito Alexandre Kalil e os médicos do Comitê de Enfrentamento à doença falaram sobre a preocupação com o Ano Novo. No início de dezembro, os alvarás para realização desses eventos foram suspensos na cidade.

“Não tem liberação. Por isso, haverá sim fiscalização para inibir que essas comemorações aconteçam”, disse o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.

Fiscalização
Agentes da Guarda Municipal e militares da PM iniciaram plantões noturnos para verificar o cumprimento das normas sanitárias na capital.

Segundo a Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção (SMSP), diariamente são realizadas ações. “A equipe integrada irá atuar durante o ano novo para fiscalizar espaços públicos, de forma a evitar aglomerações. Também atuará no atendimento de denúncias”, disse a SMSP, em nota. 

Quem flagrar irregularidades deve acionar os fiscais pelos telefones 156 (PBH) ou 153 (Guarda Municipal). É possível fazer denúncias pela Ouvidoria da administração municipal, neste link.