No último dia 14, o Governo Federal divulgou o calendário para saque das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).  A medida, que objetiva injetar dinheiro na economia, trouxe algumas preocupações para os órgãos de defesa do consumidor, especialmente em relação aos correntistas da Caixa Econômica Federal, cujo crédito será automaticamente depositado em conta poupança, e também em relação àqueles trabalhadores que optarem pela transferência dos recursos para suas respectivas contas em outras instituições financeiras.

De acordo com o coordenador do Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Marcelo Barbosa, “no momento em que os valores do FGTS forem depositados e em havendo débitos em aberto, o dinheiro será imediatamente destinado à cobertura das dívidas, procedimento ilegal pelo Código de Defesa do Consumidor, por ser prática abusiva”.

Marcelo explica que se tal problema ocorrer, os consumidores deverão buscar o desbloqueio dos valores junto aos agentes financeiros e, não havendo solução espontânea, deverão registrar uma reclamação na plataforma www.consumidor.gov.br ou no Procon de seu município. 

Em Belo Horizonte o Procon Assembleia atende das 8 às 14 horas na unidade Espaço Cidadania (rua Martim de Carvalho, 94 – Santo Agostinho) e das 8 às 18 horas na unidade Casa do Consumidor (rua Goitacazes, 1.202 – Barro Preto).

O órgão orienta ainda que a utilização desses recursos deve ser uma escolha do consumidor, que poderá, é claro, negociar seus débitos com os bancos, buscando a melhor saída para sua situação financeira.

Leia mais:
Empresas deixaram de depositar R$ 24,4 bilhões no FGTS
Saiba como investir o dinheiro do FGTS inativo
Um dia após anúncio, trabalhadores procuram Caixa para saber de saldo do FGTS
Caixa abrirá 1.891 agências aos sábados para saques do FGTS
Mais de 3 milhões de mineiros podem sacar o FGTS de contas inativas