Já imaginou ficar livre de dores no corpo, alergias, reações a tratamentos contra o câncer e até de sintomas de ansiedade e depressão sem precisar tomar remédios ou visitar o consultório de um médico periodicamente? A técnica que promete reequilibrar a relação entre o corpo e a mente e, de quebra, melhorar a saúde e combater doenças tem nome e sobrenome: BodyTalk.

Ainda pouco conhecida no Brasil, a terapia mescla influências da medicina oriental e da física quântica e nada mais é do que um resgate energético, um reequilíbrio entre as funções orgânicas e emocionais de cada indivíduo.

“O estresse quebra nossa comunicação interna e gera doenças. O BodyTalk resgata a inteligência de cada organismo, equilibra nosso corpo”, explica o terapeuta Marcio Ribeiro, referência brasileira no assunto e único instrutor da modalidade de terapia no país.

As sessões de tratamento, realizadas conforme a necessidade de cada indivíduo, são divididas em basicamente duas etapas: a anamnese, uma espécie de mini-entrevista em que o paciente descreve o histórico de saúde e a razão de estar ali, e a “consulta” (ou sessão) propriamente dita.

RESULTADOS

Depois de algumas visitas à terapeuta belo-horizontina Sabrina Tunes – uma das duas profissionais certificadas, aptas a coordenar cursos e “dirigir” sessões de BodyTalk na capital –, a promotora de Justiça Cláudia Neto Comelli, de 39 anos, pôde, finalmente, respirar aliviada ao perceber que as dores lombares, que sentia há meses, haviam cessado, mesmo que parcialmente.

O tratamento, iniciado há cerca de oito meses, mostrou-se mais eficaz do que medicamentos prescritos por médicos, e teve efeito quase 100% positivo quando aliado a atividades de fortalecimento muscular e alongamentos.

“A dor, no quadrado lombar, incomodava muito, principalmente na hora de dormir. Às vezes, passava a noite recostada”, conta Cláudia. Para ela, as sessões de BodyTalk ajudaram, ainda, a reequilibrar o corpo, cuja energia passou a circular de forma mais harmônica.

A professora universitária Josana Matedi Prates Dias, de 42 anos, também sentiu na pele, literalmente, os benefícios da técnica aplicada de forma totalmente intuitiva pelo terapeuta. “Descobri uma alergia a álcool, que me causava uma espécie de nariz de palhaço toda vez que dava um gole em qualquer tipo de bebida. E foi muito curioso como o problema desapareceu logo após três sessões da terapia”, afirma.

‘Conversa’ entre paciente e terapeuta se dá por meio do corpo

Diferentemente de técnicas alternativas como o reiki, que usa a energia das mãos, e das terapias florais, por exemplo, que, como o próprio nome diz, se baseiam no benefício das plantas, o BodyTalk é uma terapia totalmente silenciosa. Nela, é o corpo quem fala.

A terapeuta Sabrina Tunes, de BH, explica que há casos em que nem mesmo o paciente tem conhecimento do que foi feito durante ou do que o profissional “desvendou” durante a sessão. “O terapeuta se coloca numa posição de estar com a mente livre, é um processo bastante meditativo em que o foco é exclusivamente o cliente”, detalha.

Durante a consulta, que dura em média uma hora e custa cerca de R$ 200, o terapeuta segue um protocolo que consta de perguntas (todas feitas mentalmente e com respostas sim ou não) de ordens física, química, energética e ambientais. “Não há revelações verbais. É o corpo do paciente que diz onde há problemas a serem resolvidos”, esclarece.

Ao fim da sessão, de forma muito peculiar, é feita a implementação da fórmula, como é chamada a fixação do que foi absorvido do paciente, feita com toques suaves no topo da cabeça e na altura do coração. A técnica, que é ancestral, proveniente da yoga, ativa no corpo o resultado do que se conseguiu revelar por meio da consciência.