O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, teve um recurso anulado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), nesta segunda-feira (13). Com isso, a pena do condenado no caso do sequestro e assassinato da modelo Eliza Samúdio é definitiva, sem chance de novos recursos e terá que cumpri toda a pena de 22 anos.
 
Segundo o desembargador Doorgal Andrada, da 4ª Câmara Criminal do TJMG, em despacho publicado nesta segunda, os advogados de Bola não apresentaram as razões recursais. O magistrado afirmou que os defensores “omissos e desidiosos”, mostrando claramente “desinteresse em prosseguir no recurso”.
 
O recurso pedia a anulação do juri. Segundo o desembargador, a apresentação tardia das razões recursais constitui mera irregularidade, mas “esta tolerância processual tem limites e não pode prejudicar o feito”.
 
Andrada ponderou que a defesa do ex-goleiro Bruno apresentou suas razões recursais em outubro de 2013 e desde então aguarda o mesmo procedimento dos outros réus.
 
Assim, o desembargador determinou o trânsito em julgado do processo para o acusado Marcos Aparecido dos Santos, “devendo ser cumpridas as formalidades para a execução de sua pena definitiva”.