O presidente Jair Bolsonaro compartilhou na manhã desta quarta-feira (1°), em seu Twitter, uma fake news em relação ao abastecimento da Ceasa em Minas. Nas imagens, um suposto trabalhador mostra o que seria a Ceasa desabastecida e diz: "pra você que falou que economia não tinha importância e que o importante eram vidas, dá uma olhada aí. Pois é, fome também mata". 

Twitter

Atualização: após a repercussão na imprensa da informação falsa, o presidente apagou o post, por volta de 11h30. 

O vídeo endossava o posicionamento de Bolsonaro em relação às medidas de isolamento e restrição adotadas por muitos governadores e prefeitos, que são respaldadas por especialistas de saúde e pela Organização Mundial da Saúde como uma das únicas formas de se conter a disseminação do novo coronavírus. 

No entanto, o funcionamento e abastecimento na Ceasa não foi alterado devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo o presidente da Associação Comercial da Ceasa-MG (ACCEASA), Noé Xavier da Silva, no momento em que o vídeo foi gravado, ocorria a higienização do espaço como medida preventiva à contaminação e, por isso, os produtores e comerciantes desocuparam o espaço.  

"O que acontece é que o movimento na Ceasa é mais forte na segunda, quarta e sexta. Na terça, quando o vídeo foi gravado, esse movimento é mais fraco, e naquele dia estava sendo feita a desinfecção do mercado livre do produtor. Por isso, foi pedido para que eles retirassem as mercadorias do local para que a higienização fosse feita", afirma.  

Ele também fez um vídeo em que explica a situação:


Desde o dia 23 de março, algumas medidas foram implementadas na Ceasa diante da pandemia. Nenhuma delas, no entanto, interrompe ou reduz os serviços. Algumas delas são a proibição de entrada de menores de 14 anos ou maiores de 60 no local, impedimento de vendedores ambulantes e direcionamento dos veículos leves ao estacionamento. 

Outro vídeo feito pela associação mostra a Ceasa em pleno funcionamento: 

A assessoria da Ceasa Minas também desmentiu a informação do vídeo compartilhado pelo presidente e informou que o funcionamento e abastecimento no local se mantém dentro da normalidade. 

Por meio de nota, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), também desmentiu o vídeo. "Ontem, 31 de março, circulou pela internet um vídeo indicando o desabastecimento no entreposto da Grande BH, localizado em Contagem. A Seapa afirma que a informação é inverídica. A limpeza do Mercado Livre do Produtor (MLP), local em que o vídeo foi gravado, é realizada todas as terças, quintas e sextas-feiras, no período da tarde, e aos finais de semana. Não é permitido no momento da limpeza a permanência das caixas com os alimentos", informou a pasta. 

Ainda conforme a ACCEASA, o fluxo de trabalhadores no local continua, mas seguindo algumas normas de manter distanciamento e evitar aglomerações. A Ceasa Minas conta com mais de 600 lojas e cerca de 2 mil produtores rurais. De lá, saem alimentos e mercadorias destinados a mais de 400 municípios mineiros e também a outros estados como Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. 

Leia mais:
Subsecretário de Política e Economia Agropecuária nega desabastecimento na Ceasa
Produtores rurais se preparam para diminuir riscos de mais prejuízos durante período de pandemia
'Reféns' do delivery: comerciantes apelam para o serviço, que já começa a perder força
Petrobras reforça abastecimento de gás de cozinha em todo o país