Parte das buscas às 32 pessoas que seguem desaparecidas 108 dias após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, na Grande BH, se concentrou no rio Paraopeba neste domingo (12). Militares do Corpo de Bombeiros utilizaram botes para vistoriar cerca de 2 km do curso d’água.

Conforme a corporação, as buscas no Paraopeba foram realizadas hoje na confluência com o Córrego Ferro-Carvão, devido à chuva dos últimos dias. “Por causa das chuvas e do fluxo normal do rio, o relevo e os rejeitos vão sendo carreados. Por isso é importante refazer buscas em algumas áreas”, informou o tenente-coronel Anderson Passos, um dos responsáveis por liderar os trabalhos em Brumadinho. 

Apesar da varredura no rio, nenhum corpo ou segmento corpóreo foi encontrado neste domingo no rio Paraopeba. Os bombeiros ainda realizaram buscas nos remansos e áreas de sítios, no acesso ao espaço onde estava construída a Pousada Nova Estância, em áreas próximas às margens da mancha de lama e na chamada zona quente, onde ficavam o restaurante e escritórios administrativos da Vale.

Ao todo são 161 militares dividos em 21 frentes de trabalho. O rompimento da barragem da Vale na Mina de Córrego do Feijão, em 25 de janeiro, já resultou na morte de 238 pessoas.