A missão humanitária do Corpo de Bombeiros de Minas no Haiti, após um terremoto que devastou o país, foi prorrogada. Inicialmente, a ação iria durar 21 dias e, agora, não tem previsão de término.

Quatro militares da corporação estão no Haiti desde 23 de agosto, uma semana após o terremoto de magnitude 7,2 na Escala Richter atingir o sudoeste do território haitiano.

Os bombeiros integram o Grupo de Trabalho Interministerial sobre Cooperação Humanitária Internacional do governo federal e ajudam nas buscas por desaparecidos.

Segundo último balanço divulgado pela Defesa Civil local, na segunda-feira (6), 329 pessoas continuam desaparecidas. São mais de 12 mil feridos e 2.248 mortes.

Queimadas

No Brasil, o principal desafio nesse momento - inclusive em Minas - são as queimadas. Só no feriado prolongado, 738 focos de incêndio foram atendidos pela corporação em Minas.

O comandante do Batalhão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres (Bemad), major Welter Chagas, conversa com a repórter Maria Amélia Ávila nesta quarta-feira (8), às 17h30. A live será transmitida pelo Instagram do Hoje em Dia.