O Corpo de Bombeiros informou que, depois de 421 dias de trabalhos sucessivos, suspendeu pela primeira vez as buscas pelos 11 corpos que faltam ser localizados em Brumadinho, onde uma mina da Vale se rompeu, em 25 e janeiro de 2019, matando 272 pessoas.

A suspensão do trabalho ocorreu em razão do estado de emergência decretado na sexta-feira pelo governador Romeu Zema (Novo) em Minas Gerais, como medida para combater a disseminação do Coronavírus (Covid-19), que já infectou 38 pessoas no Estado, segundo balanço divulgado sexta-feira pela Secretaria de Saúde.

Isso porque, segundo a Sala de Imprensa da corporação, "cerca de 700 pessoas, entre bombeiros, voluntários, funcionários da mineradora e outros profissionais" trabalham diariamente nas buscas. Há, portanto, risco de aglomeração.

As buscas pelos corpos em Córrego do Feijão, povoado de Brumadinho onde ocorreu a tragédia, é tida como a maior operação de buscas no Brasil. Bombeiros de várias corporações estaduais participaram do trabalho.