A quantidade de vítimas que perderam a vida para a Covid-19 chegou a 423.229. Nas últimas 24 horas, foram 889 novas mortes. Ainda há 3.744 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

O Estado de São Paulo ultrapassou as 100 mil mortes desde o início da pandemia. Conforme a última atualização, 100.854 paulistas morreram em decorrência da doença causada pelo novo coronavírus. Em números absolutos, São Paulo registrou número maior de óbitos do que países como a Alemanha (84.844), segundo dados do mapa global da Universidade Johns Hopkins.  

Já o número de pessoas infectadas desde o início da pandemia, no país, subiu para 15.209.990. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 25.200 diagnósticos positivos. Ontem, o sistema de informações do Ministério da Saúde estava em 15.184.790.

Ainda há no país 1.027.363 casos em acompanhamento. O termo é empregado para as pessoas infectadas e com casos ativos de contaminação pelo novo coronavírus.

Ainda conforme a atualização, o Brasil tem 13.759.125 pessoas que se recuperaram da covid-19 desde o início da pandemia. Isso equivale a 90,5% do total de pessoas que foram infectadas com o vírus.

Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (100.854). Em seguida vêm Rio de Janeiro (46.442), Minas Gerais (36.062), Rio Grande do Sul (25.990) e Paraná (23.925).

Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.546), Amapá (1.591), Acre (1.596), Tocantins (2.659) e Alagoas (4.397).

Leia Mais:
Minas Gerais tem apenas 30 cidades sem registros de mortes por Covid-19
BH começa a vacinar nesta terça-feira pessoas de 53 e 54 anos com comorbidades
STF dá prazo para Anvisa detalhar documentos pendentes da Sputnik V