O primeiro lote com 1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 deve desembarcar no Brasil na noite desta quinta-feira (29), no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. Assim que os imunizantes chegarem à rede de frio nacional, a aplicação na população deve ocorrer em até cinco dias.

A remessa faz parte do acordo firmado em março entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica americana, que vai distribuir 100 milhões de unidades até o final do terceiro trimestre de 2021. Os imunizantes enviados ao Brasil foram produzidos na fábrica de Puurs, na Bélgica.

A vacina da Pfizer possui registro para uso definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pode ser aplicada em pessoas a partir de 16 anos, em duas doses, com intervalo de 21 dias.

Distribuição

A logística de distribuição leva em conta a necessidade de refrigeração das doses, que chegarão ao Brasil armazenadas em caixas a uma temperatura de -70°C. A previsão é de que a distribuição seja feita para as 27 capitais entre sexta-feira (30) e sábado (1°). Segundo a pasta, haverá divisão proporcional e igualitária entre as cidades.

Os estados vão receber as vacinas armazenadas entre -25°C e -15°C, podendo permanecer nessa temperatura por até 14 dias. Por conta disso, a distribuição do lote será feita em duas etapas: primeiro, serão enviadas as vacinas destinadas para a dose inicial (500 mil). Uma semana depois, os estados e o Distrito Federal receberão a remessa do reforço (mais 500 mil).

Devido ao curto espaço de tempo para a aplicação das doses, o ministério orientou que a vacinação fique restrita às capitais e, se possível, ocorra em unidades de saúde que possuam câmaras refrigeradas cadastradas na Anvisa.

Leia mais:

Minas recebe mais 578 mil doses da vacina contra a Covid-19 a partir desta quinta-feira
Idosos de 69 anos recebem segunda dose da vacina contra a Covid-19 nesta quinta em BH