Das mais de 150 mil mortes confirmadas por Covid-19 no país, 70 mil não teriam ocorrido, caso o país tivesse a mesma média de óbitos pelo novo coronavírus registrada em Minas. A afirmação foi dada pelo governador do Estado, Romeu Zema (Novo), na manhã desta quarta-feira (14).

O último boletim epidemiológico aponta que 325.972 mineiros contraíram a doença, desde março deste ano. Desses, 8,1 mil perderam a vida. A taxa de letalidade da enfermidade está em 2,5% – a menor entre os demais estados. No Brasil, são 5,1 milhões de doentes e 150,9 mil mortes – taxa de 2,9%.

Em um evento para jornalistas na manha desta quarta-feira (14), o chefe do Executivo estadual lamentou as mortes ocorridas até o momento e falou sobre as ações que têm sido feitas em Minas para barrar o contágio da doença.

Zema lembrou que a rede pública de saúde chegou perto do limite, mas, mesmo assim, não foi necessário usar o Hospital de Campanha, erguido no Expominas, em BH. O governador comparou a unidade de saúde a um seguro de carro. Para ele, nesses casos, é melhor não usar a retaguarda, evitando a dor de cabeça.

Conforme Romeu Zema, 80% do investimento necessário para colocar o complexo em funcionamento veio da iniciativa privada. Ele voltou a afirmar que ninguém sabia a proporção da pandemia, e classificou como positivo o fato do hospital não ter sido usado.

Leia também:

Zema testa negativo para a Covid-19 e retoma compromissos políticos