Os brasileiros estão divididos quanto à manutenção do isolamento social enquanto for necessário mesmo com os impactos dele na economia do país.

Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que 53,2% da população manteriam a restrição de circulação enquanto for necessária. Outros 42,%, por sua vez, se dizem contrários à medida recomendada pelas autoridades de saúde como forma de frear o avanço do novo coronavírus. Há ainda os que não souberam opinar sobre o assunto (4,1%).

O levantamento considerou a opinião de 2.218 pessoas com mais de 16 anos dos 26 Estados da federação mais o Distrito Federal. Foram consultados moradores de 212 cidades entre os dias 13 e 16 de abril. 

Maior parte dos que responderam "não" à pergunta "O senhor (a) manteria o isolamento social enquanto for necessário independentemente da crise/impacto econômico?" são homens (45,7%), têm entre 16 e 24 anos e ensino fundamental completo (44,6%). Dentre os que disseram "sim", 56% são mulheres, têm 60 anos ou mais (65,8%) e ensino médio completo (55,2%).

Na divisão por Estado, moradores dos municípios da região Nordeste foram os que mais disseram "não" (54,8%) na pesquisa, enquanto os do Norte e do Centro-oeste foram os que mais responderam "sim" (44,3%).

Confira os dados detalhados da pesquisa na imagem abaixo:

Pesquisa Paraná Pesquisas isolamento social e impactos econômicos

Clique para salvar o ampliar