O Corpo de Bombeiros vai intensificar as buscas pelos últimos 11 desaparecidos na tragédia de Brumadinho, ocorrida em janeiro de 2019, a partir das proximidades de onde uma caminhonete foi localizada soterrada. Durante toda a madrugada desta terça-feira (2), os militares escavaram a lama dentro do veículo na tentativa de localizar vítimas da tragédia ocorrida em janeiro do ano passado.

Nenhum corpo estava no automóvel, mas a expectativa da corporação é de que corpos possam estar na área. "Continuamos com a mesma estratégia inicial, mas o efetivo maior está empenhado lá (onde a caminhonete foi achada)", revelou o porta-voz dos bombeiros, Pedro Aihara.

Desde que a caminhonete foi encontrada, na noite de terça-feira (1º), as buscas não foram interrompidas. No veículo, que estava a quase quatro metros de profundidade, os militares encontram um celular de uma vítima que já havia sido localizada.

A localização da picape é considerada importante pois ela estava na "crista" na barragem no momento do rompimento, o que aumenta a probabilidade estatística de encontrar vítimas. "A localização desse vestígio é fundamental porque a partir dele nós conseguimos fazer uma análise perfeita do fluxo de lama, e com isso, a gente consegue aumentar a probabilidade estatística e a acurácia do nosso serviço de inteligência para estimar onde estão vítimas que ainda não foram localizadas", declarou Aihara.

Retorno

As buscas pelos desaparecidos em Brumadinho, que estavam interrompidas desde 21 de março por causa da pandemia, foram retomadas na última quinta-feira (27). Um protocolo sanitário está sendo seguido pelos militares para evitar o contágio pela Covid-19 .

Dentre as medidas de segurança está o isolamento de quatro dias, inclusive dos familiares, de todos que vão vasculhar a lama na tentativa de localizar os corpos das vítimas. O uso de máscara, higienização frequente das mãos e distanciamento social também são obrigatórios.

O protocolo foi formulado pelo Corpo de Bombeiros junto com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e outros órgãos. De acordo com as normas, militares com mais de 60 anos e com doenças pré-existentes não poderão ser escalados para as buscas.

Além disso, todo o efetivo deverá ser submetido a exames prévios e, diariamente, ter a temperatura corporal aferida. Aqueles que apresentarem sintomas de gripe ou resfriado serão imediatamente submetidos a consulta médica.


Leia mais:
Caminhonete que estava próxima à barragem que se rompeu em Brumadinho é localizada pelos bombeiros
Na retomada das busca pelas vítimas em Brumadinho, bombeiros encontram segmento ósseo