As principais vias do Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, contarão a partir desta quarta-feira (29) com o Faixa Azul. Todas as 121 vagas de veículos nas avenidas Professor Mário Werneck e Engenheiro Carlos Goulart e na rua José Rodrigues Pereira serão convertidas em estacionamentos rotativos.

Esta é a primeira vez que o bairro recebe o sistema. A mudança visa atender uma rotatividade de 630 automóveis, se respeitados os horários fixados. Só neste ano, 904 vagas de rotativo foram criadas em BH. O número é 21 vezes maior do que no último ano.

Segundo a BHTrans, a medida ocorre devido a um adensamento do comércio nas regiões, sem aumento de estacionamentos oferecidos. Hoje, há 22 mil vagas fixas no município ocupadas pelo Faixa Azul.

Esta é a primeira vez que o bairro recebe o Faixa Azul. Há vagas para uma, duas e cinco horas. Com as 121 vagas será possível atender a uma rotatividade de 630 carros, se respeitados os horários fixados

Buritis

Para a Associação de Moradores do Buritis, que representa tanto a comunidade quanto os comércios do bairro, o assunto deveria ter sido debatido de forma mais ampla.

“Os lojistas de pequeno porte não têm condições financeiras de oferecer estacionamento de graça. Então, pode ser que os clientes optem por fazer compras em outros locais onde não há cobrança para parar o carro”, diz o presidente da associação, Braulio Lara.

No entanto, o engenheiro de transporte e trânsito Guilherme Leiva, professor do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet), acredita que a medida é necessária. Segundo ele, é preciso atender à demanda por vagas no bairro, que tem grande circulação.

Nas principais vias do Buritis passam cerca de 60 mil veículos por dia, conforme a BHTrans. O engenheiro de transporte e trânsito e professor da Fumec Márcio Aguiar afirma que o rotativo é uma saída nesses casos, mas faz ressalvas. 

“Temos que ter cuidado porque existem domicílios e as pessoas que moram no local acabam tendo que pagar pelo rotativo de forma indevida”, diz. Para o especialista, o ideal seria oferecer à população que vive no local uma possibilidade de não pagar a taxa, que atualmente é de R$ 4,40.

Arrecadação 

A BHTrans afirma que não há possibilidade de cobrança diferenciada para moradores e consumidores. A empresa informou que os recursos arrecadados com o rotativo no Buritis serão aplicados em melhorias do sistema viário de toda a cidade, como em “manutenção e implantação de sinalização, operação de tráfego, fiscalização do trânsito e programas de segurança e educação”.