O Cruzeiro voltou a ser refém da pouca criatividade do seu meio-campo e das alterações erradas ao longo da partida. Burocrático e sem reação, o time estrelado foi envolvido pelo Fluminense e saiu deixou o Maracanã, na noite desta quinta-feira (9), com sua sétima derrota neste Brasileirão. Gabriel Scarpa, de falta, anotou o único gol da partida.
 
Com o resultado, o time estrelado permanece com 13 pontos, na 12ª colocação. O Fluminense, por sua vez, alcançou a segunda posição na tabela, com 24 pontos, dois a menos que o Atlético.
 
As duas equipes voltarão a campo no próximo domingo (12), às 16 horas. No Mineirão, o Cruzeiro receberá o Goiás. Já o Fluminense viajará a Curitiba, onde enfrentará o Atlético-PR, na Arena da Baixada.
 
BUROCRÁTICO
 
A boa atuação diante do Atlético-PR fez com que Vanderlei Luxemburgo ensaiasse o Cruzeiro sem Willian e Leandro Damião para o duelo contra o Fluminense. A ideia do treinador era manter a boa dinâmica ofensiva apresentada no último sábado, quando a Raposa não contou com os dois atacantes, que estavam suspensos. Porém, de última hora, o comandante voltou atrás e manteve a escalação habitual. E deve ter se arrependido disso.
 
Tanto Willian, quanto Leandro Damião apresentaram um futebol burocrático ao longo da partida. Pouco inspirado, o ponteiro não conseguiu concluir as jogadas que tentou criar. Isso impactou diretamente na atuação do companheiro de ataque, que viveu um ostracismo no meio da dupla de zaga tricolor.
 
Não à toa, as duas melhores chances de gol da Raposa no primeiro tempo vieram de outros pés. Aos 7 minutos, Fabrício cruzou a bola no segundo pau. Marcos Vinícius só não colocou para dentro porque chegou atrasado. Aos 40, Manoel pegou o rebote de uma bola alçada na zaga do Fluminense e tirou tinta da trave, assustando Diego Cavalieri.
 
O Flu, por sua vez, não conseguiu justificar sua condição de mandante. Sentindo a falta de Wagner e Vinícius na criação, o Tricolor também só assustou efetivamente a meta defendida por Fábio em duas oportunidades. Na melhor delas, em um raro momento de inspiração, Fred acertou um belíssimo voleio, que passou rente à trave.
 
PERDIDO
 
O segundo tempo trouxe um panorama completamente distinto da etapa inicial. Desta vez, o Fluminense assumiu a condição de dono da casa e partiu para cima da Raposa com mais ímpeto.
 
Só nos dez primeiros minutos, o Tricolor Carioca chegou com perigo em três oportunidades. Na mais clara delas, o arisco Gerson recebeu pela esquerda e centrou a bola. Marcos Júnior chegou de carrinho e ganhou de Fábio, mas a pelota tomou a linha de fundo como rumo.
 
O Cruzeiro, ao invés de reagir, recuou. Com a ala direita sem marcação e o meio-campo perdido, Luxemburgo optou por reforçar os setores com as entradas de Ceará e Charles nas vagas de Mayke e Willian, respectivamente. Porém, a substituição se mostrou equivocada, pois chamou ainda mais o Fluminense para o ataque. A partir daquele momento, o gol tricolor só foi amadurecendo.
 
E ele veio aos 28 minutos. Willians cometeu falta na quina direita da área para acabar com um rápido contra-golpe do Fluminense. Na cobrança, Jean pisou na bola e Gustavo Scarpa chutou cruzado e rasteiro para vencer Fábio. 1 a 0.
 
Ao invés de se contentar com a vitória pelo placar mínimo, o Fluminense persistiu em busca do gol. O placar só não ficou mais dilatado porque Fábio fez grandes intervenções em três oportunidades. O Cruzeiro até tentou uma reação nos minutos finais, mas já era tarde.
 
FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 CRUZEIRO
 
FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Antônio Carlos, Gum, Victor Oliveira (Renato); Pierre (Rafinha), Jean (Marlon), Gustavo Scarpa, Gerson e Marcos Júnior; Fred. TÉCNICO: Enderson Moreira.
 
CRUZEIRO: Fábio, Mayke (Ceará), Paulo André, Manoel, Fabrício; Willians, Henrique, Arrascaeta e Marcus Vinícius (Marinho); Willian (Charles) e Leandro Damião. TÉCNICO: Vanderlei Luxemburgo.
 
Gol: Gustavo Scarpa (aos 28' do 2º tempo)
Data: 9 de julho de 2015
Motivo: Jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Maracanã
Cidade: Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (SC) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
Público: 14.339 pagantes (16.391 presentes)
Renda: R$ 589.570,00
Cartões amarelos: Paulo André e Willians (Cruzeiro); Fred e Victor Oliveira (Fluminense)