Interrompidas em 21 de março por causa da pandemia, as buscas pelas 11 pessoas ainda desaparecidas após a "Tragédia de Brumadinho" serão retomadas nesta quinta-feira (27). Um protocolo sanitário deverá ser seguido pelos militares para evitar o contágio pela Covid-19 .

Dentre as medidas de segurança está o isolamento de quatro dias, inclusive dos familiares, de todos que vão vasculhar a lama na tentativa de localizar os corpos das vítimas. O uso de máscara, higienização frequente das mãos e distanciamento social também serão obrigatórios.

O protocolo foi formulado pelo Corpo de Bombeiros junto com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e outros órgãos. De acordo com as normas, militares com mais de 60 anos e com doenças pré-existentes não poderão ser escalados para as buscas.

Além disso, todo o efetivo deverá ser submetido a exames prévios e, diariamente, ter a temperatura corporal aferida. Aqueles que apresentarem sintomas de gripe ou resfriado serão imediatamente submetidos a consulta médica.

A tragédia em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ocorreu em janeiro do ano passado após o rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão. Por causa do desastre, 270 pessoas morreram, sendo que 11 seguem sumidas em meio à lama.

O Corpo de Bombeiros destacou que as buscas serão retomadas sem previsão de término. A meta é localizar todos os corpos. "É uma situação difícil de se prever e apontar resultados, mas como estamos retornando, a esperança de encontrar os corpos ainda é muito grande. A vontade de dar uma resposta aos familiares das vítimas ainda desaparecidas é muito maior", informou a corporação.

Para isso, 60 militares foram escalados para as buscas. Eles vão utilizar drones e 50 máquinas. A princípio, não haverá cães farejadores nem helicópteros.

Confira o protocolo de segurança que será adotado pelos bombeiros:

Saúde

- O militar deverá ser submetido a exame médico pericial em sua unidade antes do embarque para Brumadinho, só podendo ser escalado após estar apto;

- Solicitar exames para avaliação de metais pesados antes e após o empenho, conforme protocolo específico;

- Todos os militares passarão por medição de temperatura diariamente, sendo considerado suspeito o caso com temperatura superior a 37,8ºC; 

- Caso apresente febre e/ou sintomas respiratórios, tosse, congestão nasal, dificuldade para respirar, falta de ar, dor de garganta, dores no corpo, dor de cabeça, deverá comunicar ao chefe da frente/direto e solicitar avaliação médica no Posto de Saúde Avançado (PSA);

- Em caso de suspeita de contaminação definido pelo médico do PSA, seguir o protocolo de contingência de saúde;

- Deverá ser mantido o isolamento durante o período de folga (4 dias), se possível, inclusive de familiares próximos;

- Neste período, deverá observar o surgimento de febre ou sintomas respiratórios e fazer contato com o NAIS/SAS/Consultório médico da Unidade;

Transporte

- Para os deslocamentos das unidades até Brumadinho e no retorno ou, nos deslocamentos na área de operação, fica limitada a ocupação dos veículos a 50% do número de assentos disponíveis;

- Nos veículos para cinco passageiros fica permitido a ocupação dos dois assentos dianteiros e um ocupante no assento traseiro;

- Deverá ser disponibilizado frasco com álcool a 70% em todos os veículos utilizados para transporte da tropa, que ficará sob a responsabilidade do motorista;

- No caso de viaturas do CBMMG e caminhonetas alugadas, todas deverão ter frasco com álcool a 70% e os tripulantes deverão higienizar as mãos antes do embarque; 

- Os veículos deverão operar sem o uso do ar condicionado e com vidros abertos. Nos veículos onde não for permitido a abertura das janelas ou em caso de chuva, deverá acionar o sistema de circulação externa de ar;

- Antes e após cada deslocamento, os veículos devem ser higienizados com álcool a 70% nas áreas de maior contato;

Alimentação

- Intensificar a atenção e o cuidado no cumprimento das boas práticas de manipulação de alimentos de acordo com a legislação em vigor; 

- Orientar a higienização das mãos e antebraços dos manipuladores de alimentos que deve ser realizada com água, sabonete líquido inodoro e agente antisséptico;

- Utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados para a atividade exercida. Essa utilização deve ser completa (luvas, touca descartável, máscara, óculos, face shield e avental descartável);

- Limitar a presença de um colaborador a cada 2,25m² no refeitório, considerando-se um espaço de 1,5m de distância entre eles;

- A alimentação deverá ser servida ao militar de forma individual, respeitando a distância mínima de 1,5m;
 
- Fica proibido o serviço de self service, bem como rodízio. Adotar o atendimento com marmitex; 

- Estabelecer fluxos distintos de entrada e saída do ambiente;
 
- Deverá ser organizada uma fila para a entrada, respeitando a distância de 1,5 metros de um militar para o outro, com as devidas demarcações no piso;

- A entrada no refeitório só será permitida após a lavagem das mãos com sabonete líquido inodoro e a secagem das mãos com papel toalha, supervisionada por um responsável;

- Os militares deverão estar utilizando máscara para a entrada no ambiente, devendo essa ser retirada apenas no momento das refeições;

- Cada militar ocupará um mesa com uma cadeira, mantendo a distância de 1,5m de um militar para o outro no refeitório ou 2,25m²;

- As cadeiras não poderão ser retiradas de seus lugares; 

- Manter o ambiente de trabalho com ventilação adequada, sempre que possível.

Dormitórios e estadia
 
- Os dormitórios disponíveis para acomodação dos militares deverão ser adaptados para prevenir e reduzir riscos de infecção pelo COVID-19; 

- O distanciamento mínimo entre as camas deverá ser de 2 metros, não devendo utilizar a parte superior dos beliches; as mesmas não devem ser colocadas em corredores e demais áreas de circulação; 

- Não será permitida a circulação dos militares em outros dormitórios; 

- Manter os ambientes arejados por ventilação natural (portas e janelas abertas) e providenciar a retirada de tapumes utilizados para fechamento de áreas externas; 

- O militar ao chegar ao dormitório deverá se dirigir ao lavabo ou toalete mais próximo para higienizar as mãos com água e sabão; 

- Estabelecer um horário pré-definido para a limpeza e desinfecção dos quartos visando adequação à rotina dos militares; 

- Os funcionários responsáveis pela limpeza deverão utilizar os equipamentos de proteção apropriados (máscara, luva de borracha, calça comprida, sapato fechado) e manter o distanciamento.

Leia mais:
Museu Inhotim, em Brumadinho, será reaberto ao público após consultoria com infectologista
Prazo para familiares de vítimas de tragédia em Brumadinho aderirem a acordo é ampliado
Atriz desenvolve obra que conecta tragédia de Brumadinho à pandemia