A Câmara dos Deputados criou uma comissão externa de parlamentares para acompanhar as investigações e os desdobramentos do rompimento da Barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, da mineradora Vale, no município mineiro de Brumadinho. O grupo composto por 15 integrantes será coordenado pelo deputado Zé Silva (SD-MG). 

A criação do grupo foi publicada nesta terça-feira (29) no Diário da Câmara. As atividades não terão ônus para a Casa. 

Segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, há 288 pessoas desaparecidas. De acordo com a corporação, o número de 65 mortos deve aumentar. Dos mortos, 31 foram identificados, sendo 18 funcionários da Vale. Desde a tragédia, na semana passada, até o momento, 390 pessoas foram localizadas.

CPMI

Ontem, deputados e senadores anunciaram no Congresso Nacional a intenção de instalar uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para apurar a responsabilidade sobre o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. 

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse nesta segunda-feira (28) que o Congresso Nacional pode ser considerado um dos responsáveis pela tragédia em Brumadinho por não ter aprovado instrumentos mais rigorosos de punição em casos semelhantes.

"O Congresso teve a possibilidade de tomar medidas que inibissem que situações como a de Brumadinho voltassem a ocorrer, mas ocorreu uma situação exatamente avessa a isso. Foram criados mecanismos que facilitaram que tragédias como essas voltassem a ocorrer", disse.

Leia mais:
Área florestal equivalente a 125 campos de futebol foi perdida em Brumadinho
Relator da ONU diz que lama de barragem chegará ao Rio São Francisco
Equipes de resgate localizam pelo menos 15 corpos perto de segundo ônibus encontrado sob a lama
Copasa desmente 'fake news' e afirma que não faltará água na RMBH por falta de captação no Paraopeba
CVM registra novos processos contra a mineradora Vale
Vale responderá a ações coletivas nos EUA por tragédia em Brumadinho