Um cachorrinho que tentava brincar com a corda de uma mochila em uma área de voos de parapente na Serra de Santa Helena, em Sete Lagoas, na região Central de Minas, acabou ficando pendurado quando um homem levantou voo nesse domingo (2). O vídeo que acabou viralizando no fim de semana, mostra o animal pendurado e, segundos depois, despencado do alto do equipamento.

Assista:

Por sorte, o cãozinho, que foi batizado de Luke após o episódio, sobreviveu à aventura e teve somente um cotovelo quebrado. Ele foi resgatado no local e levado para a protetora de animais Jéssica Aparecida, que o encaminhou para uma clínica veterinária. A protetora já é conhecida por brigadistas da região que costumam a acionar quando encontram um animal ferido por lá. 

"Fiquei sabendo do caso domingo, mas como neste dia é mais difícil ter acesso a veterinários, esperamos a segunda-feira para levá-lo para a clínica. Esse cachorrinho já é conhecido ali, ele adora brincar e sempre que alguém vai pular de parapente ele tem essa mania de correr atrás e tentar pegar alguma coisa que balança, a corda, a mochila", explica a protetora. 

O animal apareceu naquela área há cerca de três meses e os parapentistas acabaram se acostumando com a sua presença. "Sempre que os meninos vão pular de parapente, um deles segura ou prende o Luke para ele não ir atrás. Mas desta vez, era um rapaz novo que pulou e não sabia deste costume do cachorrinho", conta. 

Sorte

O nome que o cãozinho ganhou é inspirado na palavra luck em inglês, que significa sorte. Por pouco, a queda teria matado o animal. "A sorte é que o rapaz que percebeu que tinha um cachorro grudado nele se dobrou um pouco para a direita, um local na lateral que possibilitou o amortecimento da queda. Se ele tivesse se mantido no meio, que é o normal em saltos de parapente e onde é mais alto ainda e não tem nada para amortecer, a queda teria sido fatal", relata.

Cirurgia

Nesta quarta-feira (4), o cãozinho vai passar por uma cirurgia de urgência no cotovelo, que foi quebrado com a queda. Ele também teve uma luxação na patinha. "É um caso urgente, ele tem que operar rápido porque se não a fratura vai calcificar e a situação vai ficar mais difícil pra ele", conta. 

Após a cirurgia, o cãozinho ainda terá que ficar 15 dias internado, já que, para se recuperar, não poderá forçar a patinha operada em nenhuma hipótese. Com isso, as despesas de Luke na clinica só aumentam e a estimativa é que cheguem a R$ 2 mil, incluindo a castração do animal, exames, medicamentos, internação, cirurgia etc. Após a sua recuperação, ele estará disponível para adoção.  

Como ajudar

Os gastos estão sendo custeados por meio de doações, que podem ser direcionadas diretamente à clínica na qual Luke está, A Animal Pet, que fica na rua São Jose, número 537, no bairro São Geraldo em Sete Lagoas. O telefone é 3776-9585. Também é possível contactar Jéssica para receber a prestação de contas do animal ou até mesmo para adotá-lo, por meio da página Protetores em Ação, no Facebook. 

Leia mais:

Procurado há mais de uma semana, cãozinho Bento é localizado no bairro Arvoredo, em Contagem
STJ decide que condomínio não pode proibir morador de criar animal de estimação