Cinco pessoas suspeitas de envolvimento com o jogo do bicho foram presas em Carangola, na Zona da Mata mineira. Entre os conduzidos estão dois cabos da reserva lotados em diferentes corporações. Cláudio Luiz Clarimundo, de 44 anos e que pertence à reserva da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, e Edimar Barbosa Claudino, de 54, ao Exército Brasileiro. 
 
Os detidos foram alvo de denúncia anônima e já tinham arrecadado em torno de R$ 200 mil com o jogatina. Os denunciantes informaram que o grupo estava a caminho de Divino, onde iria receber o lucro da prática ilegal realizada também nesse município. Porém, os veículos usados pelos suspeitos, um GM Cobalt e um MMMC Outlander, foram cercados durante operação montada na MG-482, nessa quarta-feira (7).
 
Após buscas pessoais e nos carros, policiais militares recolheram exatos R$ 196.298,70 no Outlander, além de um notebook e vários celulares. Documentos e talões da banca clandestina ainda foram localizados em compartimento oculto do veículo. 
 
Na hora da prisão, os cabos estavam armados com pistolas de calibre 380 e foram autuados em flagrante. Os dois estavam acompanhados de um suposto funcionário da banca, de 22 anos. Os outros conduzidos, um casal, eram ocupantes do Cobalt e portavam R$ 2.857,05. A mulher detida negou qualquer envolvimento com jogo do bicho e garantiu aos policiais que é comerciante. Ela chegou a apresentar boletos bancários e notas, mas a origem dos mesmos não foi possível de ser verificada.
 
Uma casa que seria usada pelo grupo como escritório, no Centro da cidade, também foi vistoriada. No local, ainda foram apreendidos mais R$ 864,95 e muitos talões preenchidos e em branco com a barca "B.U", que fazem referência ao nome da "empresa do jogo" da quadrilha. Quatro aparelhos de fax, caixas de bobinas e alguns pássaros da fauna silvestre também foram recolhidos. Já anotações de possíveis clientes, chips de celular e máquinas de cartão de crédito foram achados nas residências dos conduzidos, que serão investigados.