A cadela Vênus, que atuou na busca de vítimas da tragédia da Vale em Brumadinho, na Grande BH, juntamente com o Corpo de Bombeiros de Goiás, morreu na noite dessa segunda-feira (22), após complicações de um parto no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Goiás. Os filhotes estão bem. 

De acordo com os militares goianos, a cadela passou por cirurgias de cesária e castração e, em seguida, apresentou hemorragia interna. Os veterinários tentaram reverter o quadro, mas ela não resistiu. Nasceram três filhotes, sendo duas fêmeas e um macho.

Faro apurado

Vênus tinha 6 anos e, segundo os bombeiros, começou a fazer buscas com apenas 11 meses. Já no primeiro ano de trabalho, durante uma ocorrência em Goiânia, capital do Estado, a cachorrinha encontrou o primeiro cadáver.

Na mesma época e cidade, Vênus localizou outro corpo com apenas 10 minutos de busca. Segundo os militares, o animal também começou a ser treinado para busca de seres vivos e foi certificado nacionalmente. 

Em 2016, a cachorra desvendou um assassinato, em Lagoa Santa, na Grande BH, encontrando uma vítima enterrada em um fosso de 15 metros de profundidade. 

Já em Brumadinho, Vênus atuou por 10 dias em fevereiro, época em que foi conduzida pelo Cabo Veloso. Dois meses depois, no dia 10 de abril, retornou a Minas e trabalhou por mais 15 dias na fase mais técnica da tragédia.

"Vênus foi um dos cães que mais se destacou no árduo trabalho. É com pesar que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás comunica o falecimento do animal", relataram, em postagem no Facebook.