Dezenas de caminhoneiros fizeram uma paralisação no acostamento no quilômetro 700 da BR-116, em Muriaé, na manhã deste sábado. O tráfego não foi afetado, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal em Minas Gerais (PRF-MG).


Insatisfeitos com o preço do diesel e denunciando o descumprimento da tabela mínima do frete, eles ameaçam nova greve este ano. “No começo, a tabela do frete estava sendo cumprida, mas agora não está mais”, critica o presidente do Sindicato Interestadual dos Caminhoneiros, José Natan Emídio Neto.

Segundo ele, o movimento deste sábado é espontâneo. “Não convocamos essa paralisação, mas os caminhoneiros não estão aguentando mais”, diz.

Em 2018, a greve da categoria, que durou dez dias, causou uma corrida aos postos de combustíveis e até mesmo aos supermercados.  Na época, entidades que representam o comércio e a indústria revisaram o crescimento do Estado para baixo como reflexo do movimento.

Leia mais:

Petrobras anuncia 'cartão caminhoneiro' que permite comprar diesel com preço fixo