Em mais uma ação do Grupo Contra o Assédio Sexual a Mulheres no Transporte Público, agentes femininas da Guarda Municipal de Belo Horizonte vão distribuir apitos e folhetos educativos na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital, a partir das 18h desta quinta-feira (19).

O grupo foi criado em outubro deste ano para incentivar as denúncias de casos de importunação sexual e, desde então, já foram distribuídos quase dois mil apitos e mais de quatro mil cartilhas nas estações de ônibus e nas plataformas de embarque do metrô.

Prisões

Desde o início da campanha, em outubro deste ano, a Guarda Municipal já efetuou a prisão em flagrante de quatro acusados de importunação sexual. O botão de assédio, que passou a funcionar na primeira semana de novembro em todos os ônibus que circulam em BH, contribuiu com duas das quatro prisões. 

Os equipamentos foram instalados pelo Consórcio Operacional de Transporte Coletivo de Passageiros por Ônibus do Município de Belo Horizonte (Transfácil) e, após o botão ser acionado pelo motorista, a empresa consulta o GPS para saber a localização exata do veículo. 

Em seguida, a informação é repassada ao Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), que envia uma viatura da Guarda Municipal. Os agentes interceptam o ônibus e fazem a condução dos envolvidos à Delegacia de Mulheres. Esse processo tem durado, em média, dez minutos.

Leia mais:
Agora é lei: assédio no transporte público pode dar até cinco anos de prisão
Motorista aciona botão do assédio e suspeito é preso por importunação sexual dentro de ônibus
Mais um homem é preso por importunação sexual dentro de ônibus em BH
Primeiro preso por 'botão do assédio' em BH já tinha passagem pela polícia
Homem é preso em ônibus após primeiro acionamento de botão de assédio