A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou, nesta terça-feira (5), que a captação de água no rio Paraopeba, interrompida desde a tragédia em Brumadinho, com o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em janeiro de 2019, deve ser retomada até o fim deste ano.

A informação foi repassada pelo diretor de operações da Copasa, Guilherme Frasson, durante coletiva de imprensa realizada na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. 

“A obra da Vale já está em testes. Então em breve estaremos com o sistema do Paraopeba operando com a carga máxima de 5 metros cúbicos”, disse. 

Ainda de acordo com o representante da companhia, a operação irá representar cerca de 33% da produção da Região Metropolitana de Belo Horizonte. “Isso vai permitir a gente ter uma maior tranquilidade em termos de segurança hídrica porque os nossos reservatórios, mesmo com estiagem mais intensa no próximo ano, poderão ser preservados”, concluiu. 

Abastecimento 

Durante a coletiva desta terça, a Copasa também afirmou que cidades da Grande BH não devem enfrentar racionamento de água até o próximo ano. 

Atualmente, os reservatórios da região metropolitana, com 68% de vazão, garantem o abastecimento. “Em termos gerais, sobre a garantia de abastecimento, a gente pode ficar tranquilo. Nós não estamos vendo cenário para este ano de uma hipótese de racionamento. Nós já estamos na iminência de chuvas”, finalizou.

Leia mais: 
Igam declara situação de escassez hídrica no Rio das Velhas; entenda
Instituto de Gestão de Águas declara situação de escassez do Rio Uberaba e restringe captação
'Alta na energia para indústria fatalmente chega ao consumidor', diz Tânia Santos, gerente da Fiemg