Captura e esterilização de capivaras que vivem no entorno da Lagoa da Pampulha começam na próxima semana. A ação faz parte do plano de manejo dos roedores apresentado pela Secretaria de Meio Ambiente no fim do mês passado. A informação foi divulgada em coletiva de imprensa na manhã desta sexta no Parque Ecológico da região. 

No espaço, uma área específica abrigará os animais que farão os procedimentos. Em um contêiner, acontecem as cirurgias que impedem machos e fêmeas de gerar novos filhotes. No espaço externo da mesma área, os bichos ficam por 72 horas após o procedimento. Depois do prazo, eles são soltos novamente na orla da Lagoa da Pampulha. 

Nas primeiras semanas de ação, os agente monitoraram os grupos e fizeram um novo censo da população. Cerca de 85 capivaras foram catalogadas. O número, porém, não é exato e até 100 animais devem viver no entorno da Lagoa da Pampulha. 

Esse plano dura cerca de um ano e custará 500 mil reais. O dinheiro vem de medidas compensatórias ambientais.