Estradas federais e estaduais de Minas estão à mercê do sobrepeso de caminhões e ônibus. A fiscalização precária dos “fujões” das balanças e artimanhas para fraudar a aferição obrigatória da carga colocam em xeque o controle sobre o excesso de peso nas rodovias.

São 91 balanças no Estado: 74 estaduais e 17 federais. Vários postos têm câmeras para inibir a fuga, mas os equipamentos não podem multar por não serem homologado pelo Conselho Nacional de Trânsito nem citados nas resoluções 289 e 258, que tratam da pesagem.

A balança no km 508 da BR-040, entre Belo Horizonte e Sete Lagoas, na região central de Minas, é uma das que têm o dispositivo.

Segundo o administrador do posto, Edson Gomes, são registradas, em média, mais de mil “desvios” por dia, número que corresponde a 25% dos 4 mil veículos pesados ali a cada 24 horas.

Redução

“Após instalarmos as câmeras, as evasões caíram 70%. Enviamos o relatório ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), mas o que é feito depois não é cabe à nossa área”, diz Edson.

O gerente de tráfego e segurança viária do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), Ivan Godoi, confirma que as câmeras não podem ser usadas para multar.

“A regra vale para todo o país. As multas por evasão podem ser feitas apenas por agentes de pista ou policiais”.

Sem controle

A única forma de autuação dos motoristas que fogem das balanças é por meio do flagrante presencial de uma autoridade. Nem o DER-MG nem o Dnit têm estatísticas de quantos motoristas desviaram das balanças.

Os únicos dados sobre evasão dos postos de pesagem mineiros vêm da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Em 2012, foram emitidas 345 notificações aos “fujões”. Uma queda de 56% em relação ao ano anterior (767).

Para o inspetor Adílson Souza, assessor de imprensa da PRF em Minas, a redução não significa menor fiscalização, mas menos infrações.

Na última segunda-feira (4), o Hoje em Dia mostrou que as multas por sobrepeso no Estado aumentaram 33% de 2011 para 2012, superando 300 mil.

Entre os efeitos do excesso de peso nas rodovias estão o desgaste antecipado do asfalto e o maior risco de acidentes. l