Uma mulher e um homem, ambos de 28 anos, foram presos pela prática de refino de cocaína em um sítio de Juatuba, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde dessa segunda-feira (9). Curiosamente, o casal vendia o produto em embalagem estampada com uma famosa marca de roupas.

De acordo com a Polícia Civil, a dupla trabalhava de forma organizada, sendo a mulher responsável por cuidar do laboratório onde a droga era processada e o homem encarregado de entregar o entorpecente de carro.

No sítio, foram localizados e apreendidos 27 quilos de cocaína e 13 quilos de substância para mistura - o que resultaria em 40 quilos para venda. Além disso, foram retidos uma prensa hidráulica, uma balança e outros materiais que eram utilizados no refino da cocaína. 

Marca do jacaré

Após o refino, a dupla acomodava o produto em embalagens com o jacaré que é símbolo de uma conhecida grife de roupas. Segundo o chefe do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), Júlio Wilke, a prática visa marcar a origem da droga.

"A prática de usar marcas famosas na produção e venda de drogas tem se tornado cada vez mais comum. Os traficantes utilizam logotipos com forma de atestar a qualidade da droga que comercializam e, assim, valorizar o produto no mercado", contou Wilke.

Ainda segundo a Civil, as investigações prosseguem e o objetivo é identificar o responsável por liderar o esquema criminoso, incluindo outros envolvidos no crime.