Um casal de tucano-toco escolheu um lugar curioso para se reproduzir, o Cemitério da Saudade, em Belo Horizonte. Conhecido como tucanuçu, a ave de bico grande e alaranjado chama a atenção por sua beleza, se agita e faz barulho ao perceber a presença de curiosos próximos ao seu ninho.

Espécie típica do Cerrado, o tucanuçu, maior das espécies de tucano, é cada vez mais comum em áreas urbanas bem arborizadas. Vivem aos pares no período reprodutivo e constroem ninhos em ocos de troncos, aproveitando buracos já existentes. Alimentam-se de frutas nativas e, às vezes, preda ovos e filhotes de outras espécies. Sua vocalização lembra um roncar baixo e profundo.

Outros moradores

E os tucanos não são os únicos visitantes dessa Necrópole, localizada no bairro Saudade. De acordo com o agente administrativo do Cemitério, José Vieira Guimarães, maritaca, coruja, morcego e até esquilo frequentam a área para se alimentar ou descansar. “Aqui tem bastante esquilo. Eles já acostumaram com as pessoas”, completa Dilson.

De acordo com o biólogo da FPM, Ernesto de Oliveira Andrade Lemes, esse esquilo, também conhecido por caxinguelê ou serelepe, também costumam utilizar os ocos de árvores para armazenar alimento, proteger os filhotes e se protegerem. Assim como o tucano, o caxinguelê pode ser encontrado em áreas urbanas, geralmente em locais onde há um bom adensamento de árvores.

(*) Informações da Prefeitura de Belo Horizonte