Mais da metade das regiões de Minas já têm casos de sarampo em 2019. Há confirmações da doença no Triângulo, Zona da Mata, Sul, Centro-Oeste, Noroeste e na área central. O surto que acomete o Estado ganhou contornos maiores no último mês, quando os resultados positivos mais que dobraram, saltando de 13, em 4 de setembro, para 34, ontem. O aumento é de 161%.

Outros 624 registros ainda estão sob investigação – três vezes mais na comparação com um mês atrás. Os dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostram que a enfermidade não dá trégua. Além disso, muitas pessoas seguem desprotegidas, mesmo diante dos sucessivos alertas das autoridades e médicos sobre a importância da imunização. A cobertura vacinal não passa de 74,1% para a primeira dose e 41,4%, na segunda.

No entanto, os índices podem estar desatualizados, conforme o próprio boletim epidemiológico mostra. Os registros anotados pelas prefeituras no sistema nacional “estão muito abaixo” dos imunizantes distribuídos.

“O sarampo é uma doença grave. Exige a vacinação de todas as pessoas, conforme as doses preconizadas pelo Ministério da Saúde. A orientação é procurar um posto de saúde para se imunizar. Quem está desprotegido coloca todos que convivem com ele em risco”  (Débora Gomes Pinto, coordenadora do curso de Enfermagem das Faculdades Promove)

Proximidade

Segundo o médico Clóvis da Cunha, um dos diretores da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a proximidade com São Paulo prejudica o controle do sarampo em Minas. “Mais de 95% dos casos do país foram registrados lá. É um estado por onde circulam muitas pessoas de outros lugares”, avaliou.

Belo Horizonte e Uberlândia, no Triângulo, lideram as notificações, com nove pacientes confirmados em cada cidade. Na tentativa de barrar o avanço do vírus, a Coordenadora do Programa de Imunizações da SES, Josianne Gusmão, diz que o governo aposta em duas “grandes” campanhas de vacinação.

“Serão dois meses de campanha intensa das equipes de saúde. De 7 a 25 de outubro, o público-alvo é formado por crianças de seis meses a 5 anos. Em novembro, dos dias 18 a 30, o foco será a população de 20 a 29 anos”, disse. 

Haverá “Dia D”, quando os postos de saúde abrem aos sábados, em duas ocasiões: 19 de outubro e 30 de novembro.

Além disso, a SES diz emitir alertas e construir um plano de contingência. Uma sala de vacinação foi instalada no Aeroporto de Confins e na Cidade Administrativa. A pasta também afirma ter intensificado as ações e manter os estoques de vacina atualizados em todo o território mineiro.

sarampo