Além do risco de contaminação do rio Paraopeba, uma das principais fontes de captação de água da Copasa para o abastecimento de Belo Horizonte e região metropolitana, uma usina de energia da Cemig também pode ser prejudicada. Trata-se da Usina Termelétrica de Igarapé, também localizada no rio Paraopeba. 

A Cemig informou que desligou o fornecimento de energia para a Mina do Feijão e em seus arredores, em Brumadinho, "para garantir a segurança dos envolvidos nos resgates às vítimas do rompimento da barragem".

Ainda de acordo com a companhia, até então não há um levantamento sobre os danos causados ao sistema elétrico durante a ocorrência, "mas a rede elétrica próxima ao curso dos rejeitos será desligada por questões de segurança".

"A Cemig esclarece ainda que está atuando operativamente para garantir a segurança da barragem da Termelétrica Igarapé, localizada no Rio Paraopeba, para que possíveis impactos sobre a instalação sejam minimizados. A mesma ação está sendo realizada na Usina Hidrelétrica de Três Marias, localizada no Rio São Francisco, do qual o Paraopeba é afluente", conclui o comunicado.  

Leia nota da Vale: 

"A Vale informa que, no início desta tarde, ocorreu o rompimento da Barragem 1 da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A companhia lamenta profundamente o acidente e está empenhando todos os esforços no socorro e apoio aos atingidos.

Havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos, indicando a possibilidade, ainda não confirmada, de vítimas. Parte da comunidade da Vila Ferteco também foi atingida.

O resgate e os atendimentos aos feridos estão sendo realizados no local pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil. Ainda não há confirmação sobre a causa do acidente.

A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais".