Bandidos invadiram, roubaram o padrão de energia e cortaram diversos cabos de força do Centro de Saúde do bairro Tirol, na região do Barreiro, em BH, na madrugada desta quinta-feira (7). De acordo com o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Belo Horizonte (Sindibel), a unidade de saúde está operando somente com o atendimento de urgência, mesmo assim de forma precária devido à falta de luz e internet. 

"Outros atendimentos, como vacinação e consultas, seguem suspensos", diz a nota divulgada pelo sindicato. Conforme o Boletim de Ocorrência, a Polícia Militar (PM) foi acionada na avenida Nélio Cerqueira por volta das 7h30. No local, a gerente da unidade de saúde contou que o prédio foi fechado por volta das 18h de quarta-feira (6) e reaberto nesta quinta, às 6h. 

Assim que os trabalhadores entraram, notaram que o alarme estava disparado e que haviam sinais de pane. Quando a gerente chegou até o padrão de luz, notou que o equipamento danificado e que os cabos haviam sido roubados. Até o momento, ninguém foi preso pelo crime. 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) foi procurada, mas ainda não se posicionou sobre o ocorrido. 

Segundo caso em 2019

No último dia 24 de janeiro, o Centro de Saúde Dom Orione, na região da Pampulha, também foi arrombado. Na época, a porta da unidade de saúde foi aberta, porém, nada foi levado pelos invasores. Apesar de não terem havido danos desta vez, esta foi a quarta vez que o local foi arrombado, sendo que nas demais foram registrados prejuízos, já que, assim como no Tirol, toda a fiação elétrica foi roubada. 

Segundo dados da SMSA, de janeiro a novembro de 2018, foram 522 casos de violência em unidades municipais de saúde, um crescimento exponencial quando comparado com o ano de 2017, quando houveram 310 casos. As regiões Norte e da Pampulha lideram esse mapa da violência, com 101 e 96 ocorrências, respectivamente.

Ainda conforme o sindicato dos trabalhadores da saúde de BH, constantemente os equipamentos de saúde da capital mineira e os trabalhadores têm sido alvos da violência, com assaltos, arrombamentos e até mesmo agressão. "O Sindibel vem acompanhando as ocorrências no sentido de dar o suporte necessário aos servidores, além de cobrar da PBH mais segurança na prestação de serviços à comunidade", conclui. 

Leia mais: