Mal foi reaberto após uma interdição ocorrida na segunda-feira (26) e o Centro de Saúde do Tirol, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, voltou a ser fechado nesta terça-feira (27) devido a um caso suspeito de sarampo que foi atendido na unidade. A informação foi confirmada pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Com a nova interdição, já chega a dez o número de unidades de saúde fechadas por conta da doença na capital. 

Uma nota foi divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informando que um paciente com suspeita da doença procurou o centro de saúde na tarde desta terça. Ele foi isolado e será transferido para uma unidade hospitalar. 

"O atendimento no Centro de Saúde Tirol foi suspenso para ações de bloqueio da transmissão do sarampo. Todas as medidas estão sendo tomadas conforme protocolo do Ministério da Saúde. A situação vacinal de pacientes, acompanhantes e funcionários foi verificada e quem ainda não havia recebido a dose, foi imunizado. Outra medida executada é a desinfecção da unidade", conclui a nota. 

Na segunda foram interditados quatro unidades de saúde da capital por conta da doença. Além do Centro de Saúde do Tirol, também ficaram fechados os centros dos bairros Califórnia e Felicidade II e a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Nordeste. 

A primeira das dez interdições aconteceu na última quarta-feira (21), na UPA Centro-Sul. No dia seguinte, foi a vez do Centro de Saúde São Geraldo; já na sexta-feira (23) foi a vez do Centro de Saúde Lagoa, em Venda Nova, ser paralisado, assim como as UPAs Leste e, novamente a Centro-Sul.

O procedimento

Quando um paciente com sintomas da doença chega a uma unidade de saúde é cumprido um protocolo de segurança para que não haja transmissão. O processo dura em média duas horas e consiste na suspensão da admissão de novos pacientes, verificação da situação vacinal de todas as pessoas que estão dentro da unidade e aplicação de doses para quem ainda não foi imunizado. Além disso, é feita uma completa desinfecção do espaço.

Apesar das interdições, o número de casos confirmados em BH não subiu. Segundo a SMS, a capital tem dois casos de residentes com a doença confirmada e outros 20 permanecem sob investigação.

Leia mais:
Vacina contra sarampo é racionada para adultos em Santa Luzia
UFMG dá início à vacinação de seus alunos contra sarampo, caxumba e rubéola
Mais quatro unidades de saúde são interditadas por suspeitas de sarampo em BH