Três centros de saúde de Belo Horizonte passaram a funcionar 24h por dia, desde a última sexta-feira (26), para atendimento de casos que não tenham relação com a Covid-19. Segundo a prefeitura, foram realizados 365 atendimentos nessas unidades até este sábado (27). O objetivo é desafogar as unidades de pronto-atendimento.

"Essa estratégia visa ampliar o atendimento dos casos de baixa e média complexidade, deixando as UPAs dedicadas, prioritariamente, ao atendimento dos casos sintomáticos respiratórios, pediatria e traumas".

As unidades não-Covid, para casos de baixa e média complexidade não respiratórios, estão funcionando no Centro de Saúde Santa Terezinha (rua Senador Virgílio Távora, 157 - Santa Terezinha); Centro de Saúde Carlos Chagas (avenida Francisco Salles, 1.715 - Santa Efigênia) e Centro de Saúde Santa Mônica (rua dos Canoeiros, 320 - Santa Mônica).

A expectativa é a de que o número de espaços do tipo seja ampliado nas próximas semanas e a PBH pretende que todas as nove regionais de Belo Horizonte tenham uma unidade não-Covid. 

Belo Horizonte vive seu pior momento na pandemia e segundo o boletim epidemiológico dessa sexta-feira (26), a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 107,5%. Já a dos leitos de enfermaria chega a 88,5%. O número médio de transmissão por infectado (RT), que estima a circulação do coronavírus, é de 1,14. O número preocupa e precisa estar abaixo de 1. De acordo com os estudiosos, em média, cada 100 pessoas infectadas pelo vírus transmitem a doença para outras 114.