A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) anunciou para o próximo ano obras para oferecer internet wi-fi gratuita em centros turísticos de cidades históricas mineiras. Além disso, a fiação urbana nesses locais passará a ser subterrânea, o que, segundo o secretário da pasta, Marcelo Matte, visa melhorar a apresentação dos locais para os turistas.

O anúncio veio junto do balanço da atuação da Secult em 2019, dado nesta sexta-feira (13). Para o secretário, a pasta avançou em muitos aspectos em relação à administração anterior. Os equipamentos culturais, incluindo os localizados em cidades históricas, tiveram problemas emergenciais resolvidos e ganharam em segurança com a regularização de todas as licenças necessárias e aquisição dos equipamentos e treinamentos necessários.

As obras de cabeamento e instalação de internet sem fio serão feitas em cerca de 50 cidades com patrimônio histórico e têm previsto orçamento de R$ 10 milhões por ano. A verba deve vir, segundo Matte, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, de emendas parlamentares do Senado Federal, da Cemig e de parcerias com a Associação Mineira de Municípios.

 

Incentivo ao turismo

Aumentar o fluxo turístico em Minas é um dos principais objetivos da gestão de Marcelo Matte. Para isso, a secretaria anunciou que vai começar em dezembro e janeiro a veicular propagandas em mídias impressas, de televisão e de internet de circulação nacional para fomentar o turismo no Estado.

“Daremos destaque a seis pontos: segurança, por sermos um dos estados mais seguros para turistas no país; no patrimônio histórico, já que 62% do patrimônio tombado estão aqui; no patrimônio natural, focando nas cachoeiras e parques; no patrimônio imaterial, com a cultura popular mineira; nos produtos, como queijos, cafés e gastronomia; e no afeto do povo mineiro”, enumerou.

O objetivo do governo é aumentar em 10% ao ano o fluxo de turistas em Minas, vindos tanto de outros estados quanto do próprio território mineiro. A intenção é, ainda, que esse fluxo aumente a taxa de ocupação dos hotéis no Estado, que começou 2019 em 49%, está atualmente em 56%, e tem como foco atingir 70%. “Queremos que cresça 10% ao ano”, informou Matte.