Cerca de 80 crianças são atacadas por abelhas em escola; três vítimas estão em estado grave

Da Redação
03/09/2019 às 17:22.
Atualizado em 05/09/2021 às 20:24
 (Divulgação/ Corpo de Bombeiros )

(Divulgação/ Corpo de Bombeiros )

O ataque de um enxame de abelhas durante o horário de recreio de uma escola estadual em Nova Matrona, distrito de Salinas, no Norte de Minas, terminou com cerca de 80 crianças feridas, sendo três delas, em estado grave, na tarde dessa segunda-feira (2). As vítimas têm idades de 6 a 11 anos. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada por volta de 15h30. Na escola, um enxame localizado em um pilar metálico na quadra de esportes acabou ficando agitado com a movimentação das crianças durante o recreio. As três vítimas mais graves tiveram sintomas como vômitos e mal estar generalizado e foram levadas para o Hospital de Taiobeiras, na mesma região. As outras crianças foram atendidas pela equipe do Samu e foram liberadas.

Os bombeiros tentaram capturas as abelhas alvoraçadas mas, como não conseguiram, tiveram que exterminá-las usando equipamentos de proteção individual de captura de insetos e escada de acesso. O local foi isolado e a escola passará por uma vistoria do Corpo de Bombeiros, ainda sem data marcada. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), informou que a direção da unidade escolar realizou todos os procedimentos necessários em relação ao caso. 

"Segundo a direção da escola, durante o intervalo de aulas, os alunos que estavam na quadra de esportes foram surpreendidos por abelhas. Ainda, de acordo com a escola, os insetos não estavam visíveis, pois estariam dentro de uma das pilastras da quadra. O Samu foi acionado para prestar atendimento aos alunos que foram picados. O Corpo de Bombeiros também foi acionado, isolou o local e fez a retirada das abelhas na escola", conclui o comunicado. 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por