O cheiro de frango com angu e ora-pro-nóbis e outras delícias da culinária quilombola tomam conta do Brumadinho Gourmet, que começou na sexta-feira (15) e vai até domingo na Estância da Cachoeira, em Casa Branca, na Grande Belo Horizonte. No evento, que tem o apoio do Hoje em Dia, são esperadas 50 mil pessoas.

Nos estandes da praça de alimentação, é possível conhecer, além de pratos irresistíveis, um pouco da cultura africana e como ela influencia a gastronomia mineira. Em um deles, um animado grupo da comunidade quilombola de Marinhos, em Brumadinho, prepara um prato bem servido de frango com angu.

“Nós crescemos comendo essas delícias e ficamos satisfeitas em mostrar nosso jeito de cozinhar para todos”, afirma Leide Santana Silva, de 62 anos, que cozinha ao lado da filha, Jussara, de 31, sob o olhar atento do marido, Antônio Alves, de 66.

A chef de cozinha senegalesa Rama Toulage prepara dois pratos no festival: o Yassa, com frango e mostarda francesa, e o Mafè, com contrafilé, amendoim e mandioca. “São pratos típicos do Senegal, que os brasileiros vão gostar”, disse.

O chef Guga Rocha, apresentador do programa “Homens Gourmet”, no canal fechado Bem Simples, acredita que a gastronomia quilombola pode ser um grande atrativo turístico. Ele pesquisa a culinária há cinco anos e tem mais de 350 receitas catalogadas. “A cozinha quilombola tem uma verdade histórica muito grande”, diz o autor da pesquisa “Um Sabor de Liberdade”.

Para a administradora Maria Célia Soares, de 47 anos, o festival é uma oportunidade de descobrir novos sabores e aromas. “Há excelentes produtos para quem gosta de cozinhar”. Quem for ao Brumadinho Gourmet deve levar um quilo de alimento não perecível.

Programação deste sábado (16):

11h – Show de Zal Sissokho (Senegal)
13h30 – Chef Cau Werneck
14h30 – Show de Fernando Sodré
16h30 – Show de Tau Brasil
19h – Show de Patrícia Amaral
20h30 – Festim com os chefs Alessandro Eller e Gilson Surrage
22h – Show de U2 Cover