Quando há um ano procurou um médico, o empresário João Carlos de Souza, de 35 anos, levou um susto: descobriu que estava com gordura no fígado. A ordem do especialista foi que ele procurasse um nutricionista imediatamente e seguisse uma dieta personalizada. Mesmo com a prescrição em mãos, a correria do dia a dia fazia com João sabotasse o próprio regime.

Só há um mês o empresário procurou uma empresa de planejamento alimentar. Resultado: já eliminou um quilo e meio de gordura a ganhou 900 gramas de massa muscular. “Fora a disposição e o bem-estar que tenho ao longo do dia”, comemora.

Semanalmente, João Carlos recebe em casa almoço, lanche da tarde e jantar. No prato, frituras e carnes vermelhas perderam espaço para grelhados, legumes e saladas com nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e aminoácidos.

Uma dieta especial, assim como a do empresário, ajuda tanto a quem quer emagrecer quanto aos que precisam se alimentar de forma saudável por causa de problemas de saúde. “Mesmo com algumas doenças, como diabetes, cardiopatia, hipoglicemia, tireoide, a pessoa que se alimenta bem melhora a qualidade de vida”, garante Felipe Leroy, chef do Cozinha Vitrine, empresa especializada em dietas personalizadas. “Produzimos os pratos indicados por profissionais da saúde para o tratamento de doenças. Nosso objetivo é contribuir no combate à conduta de autossabotagem na mudança de hábito”.

Cuidados

Os clientes do Cozinha Vitrine encontram na empresa as necessidades customizadas em um processo que minimiza os riscos de contaminação, preserva as características nutricionais dos alimentos e não deixa o efeito de pasteurização no sabor e na consistência dos alimentos. 

“Alguns deles têm características individuais que junto a outras iguarias são potencializadas. Procuramos sempre enriquecer em sabor e aumentar em eficiência”, frisa Leroy. Ele afirma que o preço médio da dieta é de R$ 40 o quilo.

O chef cita as instruções que recebe dos nutricionistas para levar em conta as necessidades dos clientes. “No caso de cardiopatia é preciso diminuir o sódio. Utilizamos mais ervas para ter o mesmo sabor com menos sal. Para os consumidores com câncer incluímos cogumelos frescos, pois possuem propriedade funcional que protege o sistema imunológico”.

Mesmo as pessoas que procuram as dietas personalizadas por questões de estética se motivam pelos ganhos em bem-estar. Segundo Leroy, pode até ser que o que leva as pessoas a se alimentarem melhor seja a busca pelo corpo perfeito. “Mas o que as mantêm como foco nesse novo estilo de vida é a saúde”, afirma.

Cada preparo segue à risca o que foi pedido pelo especialista; no caso de pacientes com câncer, por exemplo, nutrientes que protegem o sistema imunológico são adicionados ao cardápio

Dieta individual pode ajudar em casos de enxaqueca e fadiga

Atender às demandas individuais de cada pessoa é o principal benefício da dieta personalizada. “Não existe um só regime que é bom para todo mundo, já que cada um tem suas preferências gastronômicas. É preciso apenas ter cuidado para identificar a sensibilidade alimentar de cada pessoa, para que não se tenha uma alergia tardia”, afirma a nutricionista funcional Lígia Oliveira.

A gordura no fígado, por exemplo, exige cuidados com a qualidade do alimento que está sendo ingerido. “Não é simplesmente cortar a gordura. É preciso consumir óleos que ajudam o metabolismo, como o azeite de oliva, e diminuir carboidratos simples, como o açúcar e a farinha branca”, observa.

Quem procura o consultório de Lígia para uma primeira avaliação passa por um rastreamento metabólico. O paciente responde um questionário, uma espécie de investigação dos hábitos de vida, rotina e histórico. Só aí ela dá início a um planejamento de cardápio específico. 

“Muitas vezes, as pessoas não possuem doenças mas têm queixas regulares, como enxaquecas e fadigas. O consumo em excesso de determinados alimentos, como produtos derivados do leite, por exemplo, podem causar uma hipersensibilidade que causa esses sintomas. O processo inflamatório no intestino impede a absorção de nutrientes. Daí a pessoa fica sem energia e reclama de cansaço extremo”, explica a nutricionista.

Chefs entregam cardápio personalizado
COMPENSA – Por mês, João Carlos estima gastar R$ 1.200 com a dieta personalizada, cerca de R$ 700 a menos do que costumava desembolsar nas compras convencionais

INDICAÇÕES DA NUTRIÇÃO FUNCIONAL
Veja alguns dos desequilíbrios que podem ser melhorados com a dieta funcional:

- Dor de cabeça, falhas de memória e dificuldade de concentração

- Ansiedade, irritação, alteração de humor e compulsão alimentar por carboidratos

-  Queda de cabelo, unhas fracas, rugas, celulite e flacidez

- Falta de energia e motivação, cansaço constante e depressão

- Retenção de líquidos, problemas circulatórios e varizes

- Alergias, candidíase ou cistite de repetição, baixa imunidade

- Constipação, gases, estufamento ou diarreia

- Dores articulares, gastrite, azia

- Sobrepeso ou obesidade, dificuldades em ganhar massa magra ou perder gordura

- Doenças como câncer, colesterol alto,acúmulo de gordura no fígado, doença celíaca, diabetes, hipotireoidismo, intolerância a lactose, alergias alimentares, entre outros