Os últimos dias de novembro e início do mês de dezembro devem ser chuvosos em Belo Horizonte. Desta segunda (29) até a próxima sexta-feira (3), a previsão indica céu com muitas nuvens e precipitação ao menos em um período do dia, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Para esta segunda, há possibilidade de chuva isolada durante a tarde e à noite. Os termômetros devem marcar máxima de 31° C e a mínima chegou a 17° C, com umidade relativa do ar variando entre 35% e 100%.

Já na terça-feira (30) teremos pancadas de chuva, por vezes forte, e trovoadas isoladas durante todo o dia. A temperatura apresentará um leve declínio, com máxima chegando a 28º C e mínima de 18° C. A umidade deve variar entre 60% e 100%.

Não tão diferente do fim deste mês, dezembro deve ser recebido com precipitações e temperatura um pouco mais baixa, variando de 19° C a 26° C.

Veja a previsão para a semana:

Segunda-feira (29)
Máxima: 31° C
Mínima: 17° C

Terça-feira (30)
Máxima: 28° C
Mínima: 18º C

Quarta-feira (1º)
Máxima: 26° C
Mínima: 19° C

Quinta-feira (2)
Máxima: 28° C
Mínima: 17° C

Sexta-feira (3)
Máxima: 27° C
Mínima: 17° C

Acumulado de chuva

Oito das nove regionais da capital mineira ultrapassaram 100% do acumulado de chuva esperado para todo o mês de novembro. O índice passa dos 303 mm (127%) na região Oeste, que recebeu o maior volume de água até então.

Conforme a Defesa Civil informou na manhã desta segunda, as regiões do Barreiro, Leste e Venda Nova são outras três das mais atingidas pelas precipitações, com 120%, 118% e 112%, respectivamente. Apenas a regional Norte ainda não atingiu o índice esperado para o mês, chegando a 97%.

Confira abaixo o acumulado de chuva em todas as regiões (em mm):  

  • Barreiro: 287,4 (120%)
  • Centro Sul: 248,4 (104%)
  • Leste: 283,6 (118%)
  • Nordeste: 254,6 (106%)
  • Noroeste: 246 (103%)
  • Norte: 232,4 (97%)
  • Oeste: 303,8 (127%)
  • Pampulha: 251 (105%)
  • Venda Nova: 269,4 (112%)

Média Climatológica para o mês de novembro: 239,8 mm.

 

Leia mais:
Natureza responde com raios à poluição; em Minas, descargas elétricas aumentaram 30%
Carne fica até 12% mais cara em BH; variação de preço passa de 200%
Imóveis na planta sobem 16% em um ano em BH